Arquivo da categoria: Sem categoria

INOVAÇÃO PRODUTIVA | TERRITÓRIOS DE BAIXA DENSIDADE

Norte, Centro e Algarve até 31 de Dezembro

inov-prod-bxdens-31dez

A Fase IV do aviso n.º 08/SI/2020 foi criada no seguimento do elevado número de interessados que não conseguiram submeter as suas candidaturas. A nova fase decorre de 8 de setembro a 31 de dezembro, podendo ser suspensa assim que a dotação orçamental dos organismos se tenha esgotado.
A prorrogação do aviso tem como únicos beneficiários as PME e grandes empresas sediadas nas regiões NUTS II Norte, Centro e Algarve.

Recorde a dotação orçamental indicativa do concurso:

dotacao-aviso08

• Reforçar a capacitação das PME para o desenvolvimento de bens e serviços, através do investimento em atividades inovadoras e qualificadas que contribuam para a sua progressão na cadeia de valor

• Aumentar o investimento das grandes empresas em atividades inovadoras, através do incremento da produção transacionável e internacionalizável e a alteração do perfil produtivo do tecido económico, com base em soluções inovadoras assentes em resultados de I&D e na integração de novas tecnologias e conhecimentos e ainda a criação de emprego qualificado

As candidaturas/projetos que se candidatam através do POR Norte e do POR Centro, devem apresentar um investimento total, aferido com base nos dados apresentados na candidatura, inferior ou igual a 5 milhões euros.

As candidaturas submetidas na Fase IV são financiadas da seguinte forma:
• Nos investimentos localizados nas regiões menos desenvolvidas NUTS II Norte e Centro os projetos com investimento total igual ou inferior a 5 M€, são financiados pelas AG dos respetivos Programas Operacionais Regionais;
• Independentemente da sua dimensão, os projetos com investimento localizado na região NUTS II do Algarve são financiados pela AG do respetivo Programa Operacional.

A dotação referente à fase IV terá uma afetação específica aos projetos cujos investidores têm o estatuto de Investidor da Diáspora. Assim 30% desta dotação será para financiar projetos cujos investidores têm o Estatuto de Investidor da Diáspora.

Contacte-nos para rastrear se o seu projeto se enquadra nesta oportunidade.

A PANDEMIA AFECTOU O SEU PROJECTO?

No seguimento de um inquérito realizado pela rede dos sistemas de incentivos ao investimento empresarial junto de 2500 empresas com projectos a decorrer no Portugal 2020 até ao final do mês de maio, um terço dos investimentos está em risco e muitos prazos não serão cumpridos.

 

pandemia-projectos

 

Os resultados do efeito da COVID-19 diminuiu a capacidade das empresas concretizarem os seus projectos apoiados pelo Portugal 2020. Cerca de 71% das empresas não conseguem realizar o seu investimento de acordo com o que foi contratualizado. Apenas 29% conseguirão cumprir com o calendário estabelecido alcançando integralmente as metas e resultados esperados. São 40% os que acreditam realizar parte do investimento e 31% colocam em risco a realização dos seus projectos.

Muitas empresas equacionam pedir a prorrogação do prazo da realização dos projetos, devido à pandemia que os inibiu de cumprirem o cronograma e os obrigou a adaptarem os seus projetos. Muitos receiam também que o prazo de conclusão do investimento submetido e contratualizado se realize após junho 2023, o último ano do quadro comunitário Portugal 2020.

 

Na sequência da situação económica e financeira actual as empresas têm agora “a possibilidade de prorrogarem os prazos de execução sem penalizações financeiras, pela revisão ou reconfiguração dos investimentos, quer ao nível dos resultados como do próprio quadro financeiro associado, sendo que a avaliação final dos resultados é ajustada em função do novo calendário e das metas revistas”.

Relativamente à tesouraria das empresas, uma das medidas implementadas passa por pagar a totalidade dos pedidos de reembolso por adiantamento. No caso dos projectos de internacionalização foram aceites as despesas incorridas com acções adiadas ou canceladas. Para as empresas que têm de reembolsar os apoios obtidos a título de empréstimo foi estabelecida uma moratória e aplicado a todos os projectos um diferimento de 12 meses no plano de regularizações, sem juros ou penalizações. Estas medidas permitiram uma injecção de liquidez nas empresas com investimentos em curso, superior a €650 milhões. 

Vai cumprir as metas contratualizadas no projeto?

 

E vai conseguir cumprir o calendário previsto?

 

Contacte-nos! Podemos ajudar a concluir o seu projecto de investimento com sucesso.

 

Ana Almeida
Marketing

STAYAWAY COVID

“A STAYAWAY COVID vai acompanhá-lo como um radar que vive no seu telemóvel. Um radar que atempadamente o alerta sobre contactos de risco recentes. Riscos que para si foram invisíveis. Esteja um passo à frente do vírus. Ajude a eliminar a COVID-19. Proteja-se a si e aos outros!”

 

Esta é parte da mensagem do vídeo de promoção da STAYAWAY COVID, aplicação portuguesa de rastreio do novo coronavírus, desenvolvida pelo INESC TEC, em parceria com o ISPUP e as spin-offs, Keyruptive e Ubirider.

Rastreio rápido e anónimo de contágio por COVID-19

Uma solução de rastreio digital de proximidade de contactos para prevenir e mitigar a propagação da COVID-19.  Trata-se de um sistema de notificação da exposição individual a fatores de risco de contágio que servirá de complemento aos esforços já levados a cabo pelas autoridades de saúde para rastrear e interromper as cadeias de transmissão da doença.

stayawaycovid

A aplicação de telemóvel STAYAWAY é voluntária, não intrusiva e não discriminatória, garantindo a privacidade e protecção de dados dos utilizadores. A sua instalação não requer a partilha de qualquer tipo de informação pessoal.

 

“No caso de uma pessoa que não contraia a doença e que não tenha contacto com nenhum infectado, a única interacção que terá com a app será a instalação da mesma no seu smartphone. Mas esta aplicação será tanto mais eficaz quanto maior for o número de utilizadores, afirmou José Manuel Mendonça, Presidente do INESC TEC.

A aplicação para smartphones está disponível na Google Play Store, para smartphones Android e na App Store da Apple, para iPhones. A STAYAWAY COVID conta com mais 50 mil downloads e tem uma avaliação muito positiva que se situa em 4,7 em 5 estrelas.

 

Salvaguardados os dados pessoais ou identidade é inegável a sua utilidade e aplicabilidade no rastreio da disseminação da COVID-19.  Para tal é necessária uma elevada adesão e utilização da app para que os resultados sejam alcançados.

 

stayaway-smartphone

 

O funcionamento da aplicação recorre à tecnologia Bluetooth para registar os contactos entre pessoas com a aplicação instalada. O telemóvel anuncia a sua presença a todos os dispositivos próximos usando identificadores aleatórios que não revelam identidades pessoais.

 

Este é sem dúvida um conhecimento valioso que configura um dado muito importante. A pessoa notificada poderá fazer uma melhor gestão dos seus contactos, precavendo-se de um possível contágio através do reforço de medidas de protecção, especialmente em situações e cenários de coabitação e trabalho.

 

Ana Almeida
Marketing

+CO3SO EMPREGO | CONCURSOS PARA O ALTO MINHO

Abriram recentemente três avisos +CO3SO Emprego para o Alto Minho – GAL Costeiro Litoral Norte – Comunidade Intermunicipal do Alto Minho: Empreendedorismo Social, Interior e Urbano.

A apresentação de candidaturas para os três avisos poderá ser realizada até ao dia 17 de Novembro às 17h59m59s.

Cada aviso conta com uma dotação indicativa do FSE de 138.889 euros.

+CO3SO EMPREGO – EMPREENDEDORISMO SOCIAL (GAL Costeiro Litoral Norte – CM Alto Minho)

Aviso NORTE-40-2020-78

Todas as freguesias dos concelhos da zona de intervenção do GAL Costeiro Litoral Norte
Comunidade Intermunicipal do Alto Minho – Empreendedorismo Social.

altominho-78

+CO3SO EMPREGO INTERIOR (GAL Costeiro Litoral Norte – CM Alto Minho)

AVISO NORTE NORTE-40-2020-77

As freguesias 3, 4, 5, 6 e 7 fazem referência à zona de intervenção do GAL Costeiro Litoral Norte – Interior.

altominho-77

+CO3SO EMPREGO URBANO (GAL Costeiro Litoral Norte – CM Alto Minho)

AVISO NORTE-40-2020-76

As freguesias 1, 2, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18, 20, 21, 22, 23, 24, 25 fazem referência à zona de intervenção do GAL Costeiro Litoral Norte – Urbano.

altominho-76

O programa +CO3SO Emprego configura os custos diretos com os postos de trabalho (salário base + taxa social única) e apoio adicional de 40% para os custos associados, tudo a fundo perdido. Os apoios superam os 85% a Fundo Perdido.

 

Analise os “case studies” aqui, e se identificar no +CO3SO Emprego uma oportunidade de apoio à contratação de RH, estamos disponíveis para colaborar na instrução da respectiva candidatura. Contacte-nos.

I&D EM COPROMOÇÃO PARA TERRITÓRIOS DO INTERIOR ATÉ 30 OUTUBRO

O aviso n.º 13/SI/2020 (SI-47-2020-13) para projetos de I&D Empresarial em Copromoção para Territórios do Interior foi prorrogado pelas Autoridades de Gestão dos Programas Operacionais Regionais até 30 de Outubro às 19 horas. O aviso mantém-se suspenso para os potenciais beneficiários do Programa COMPETE 2020.

O objectivo é diminuir a forte assimetria entre as regiões do país – as menos desenvolvidas (Norte, Centro e Alentejo) e a mais desenvolvida (Lisboa) e/ou em Transição (Algarve) – relativamente ao investimento em I&D e à cooperação interempresarial e as entidades não empresariais do sistema de I&I. O aviso publicado em Março já se encontra na última fase para apresentação de candidaturas.

conhecimento-digital-interior

BENEFICIÁRIOS  

 Empresas de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica

• Entidades não empresariais do Sistema de I&I  – ENESII

→ Centros de Interface (CIT)
→ Laboratórios Colaborativos (CoLAB)

• O consórcio deve ser liderado por uma entidade sediada nos territórios de baixa densidade, podendo integrar promotores com diferentes localizações, devendo o projeto assegurar que pelo menos 50% do investimento será realizado nos territórios do interior.

   

 TAXAS DE FINANCIAMENTO  

• Até 75%: Regiões do NorteCentroAlentejo e Algarve

• Até 50%: Região de Lisboa

   

DOTAÇÃO ORÇAMENTAL POR PROGRAMA OPERACIONAL  

• Norte: 5 M€

• Centro: 5 M€

• Lisboa: 3 M€

• Alentejo: 2 M€

• Algarve: 2 M€

Não se atrase! Esta poderá ser a última oportunidade para o seu projeto se candidatar a estes apoios financeiros. Para mais informações contacte-nos!

IR PARA FORA CÁ DENTRO

va-para-fora-ca-dentro

Com o mês de Agosto a começar, é inevitável não se pensar em viagens para destinos longínquos, praias de areia branca e águas tépidas, sunsets e festas pela noite dentro, ou seja, férias! Mas o atual contexto, obriga a cuidados redobrados na hora de planear as férias e o slogan “Vá para fora cá dentro”, do Turismo de Portugal, que já tem 25 anos, está mais atual do que nunca.

A pandemia da Covid-19 entrou nas nossas vidas sem pedir licença, condicionando as rotinas e criando desafios inimagináveis, até na hora de marcar férias! A Direção Geral da Saúde (DGS), por um lado, e os operadores turísticos por outro, multiplicaram regras e iniciativas por forma a garantir a segurança das pessoas e atrair turistas. Neste verão de 2020, as idas à praia, à piscina, às termas e SPAs, aos espaços de lazer e culturais, a restaurantes e cafés, não estão proibidas mas estão sujeitas a muitas regras e cautelas.

Mas a vida não pára e impõe-se a necessidade de carregar baterias para um segundo semestre que se espera igualmente difícil. A economia precisa de novos negócios e o turismo é um dos principais impulsionadores do PIB nacional. De norte a sul do país não faltam novas experiências para explorar e um Portugal desconhecido e inovador para conhecer. Por isso, a Multisector deixa aqui algumas dicas para umas férias seguras, e merecidas, em tempo de pandemia.

Praias

Se vai à praia, saiba que o manual para a época balnear impõe distâncias mínimas entre grupos e chapéus de sol, lotação máxima de pessoas, interdição de atividades desportivas, obrigação de estacionamento em parques e informação sobre o estado de ocupação através de sinalética. Em tempo real pode saber o estado de ocupação dos areais, através da aplicação Info Praia.

Piscinas

As piscinas também já receberam ordem de reabertura, mas deve confirmar se cumprem as regras de prevenção, ocupação, higienização dos espaços e distanciamento físico entre utentes, por exemplo: onde sejam disponibilizadas cadeiras, espreguiçadeiras, chapéus de sol ou outros equipamentos idênticos, assegure-se que estes encontram-se a três metros de distância; evite utilizar, dentro de água, equipamentos lúdicos e ou de uso coletivo, como bóias ou colchões; nos chuveiros exteriores, instalações sanitárias e áreas de circulação é obrigatório o uso de calçado. Antes de utilizar os espaços, certifique-se que os responsáveis pela gestão dos recintos têm afixadas as regras de funcionamento e das medidas de prevenção e mitigação implementadas em lugar bem visível.

Termas e SPAs

Todas as consultas e tratamentos termais passam a ter marcação prévia, de forma não presencial e o número de termalistas deve ser limitado, para possibilitar o distanciamento social recomendável. Os espaços estão obrigados a garantir o acesso, em todas as áreas, a solução de base alcoólica, bem como máscara cirúrgica, que deve ser utilizada dentro do espaço, na sala de espera ou na receção. O uso de máscara só é dispensado quando estiver no gabinete de consulta e no decorrer dos tratamentos termais. A ventilação adequada é obrigatória e a limpeza e a desinfeção tem que ser efectuada de forma regular.

Restaurantes e cafés

Restaurantes, cafés, pastelarias e esplanadas devem manter um distanciamento mínimo de 1,5m entre os lugares. Sempre que circular dentro destes estabelecimentos, o uso de máscara é obrigatório e deve higienizar as mãos com solução à base de álcool ou com água e sabão, à entrada e à saída do estabelecimento. Deve ser dada preferência ao pagamento através de meio que não implique contato físico, por exemplo, terminal de pagamento automático contactless.

Museus, espaços culturais e espaços de lazer

Desde o início de junho que já possível a realização de espetáculos culturais, desde que as orientações da DGS sejam cumpridas. Os cinemas, teatros, auditórios e salas de espetáculos passam a ter a lotação reduzida, com lugares marcados e distanciamento físico. A lista das normas é extensa, mas para público destacam-se as seguintes: Respeitar os circuitos próprios para entradas e saídas; usar sempre máscara em espaços fechados e higienizar as mãos sempre que possível; respeitar o distanciamento físico de dois metros entre as pessoas e evitar filas e limitar a permanência nos locais apenas pelo tempo necessário.

Alojamento

O Turismo de Portugal implementou o selo “Clean&Safe”, que permite identificar os estabelecimentos e serviços que implementaram medidas de higiene e de segurança reforçadas. Mas para além das regras básicas de higienização e distanciamento social, pode escolher espaços que criaram medidas adicionais para garantir a segurança, tais como: número reduzido de quartos, piscinas com zonas privadas para evitar que as espreguiçadeiras sentem hóspedes diferentes, pequenos almoços que vão ter consigo sem que pague mais por isso, brinquedos que se limpam sempre que uma criança pega neles.

 

Independentemente de todas as restrições impostas, está na hora de desligar do trabalho e da pressão causada pela pandemia. Vários estudos demonstraram que as férias melhoram o estado físico e mental, ao mesmo tempo que aumenta a produtividade e capacidade de foco. Por isso, com a responsabilidade que a atualidade exige, não perca nada das suas férias.

 

Boas férias!

 

Cláudia Martins
Gestão de Projetos

APRESENTAÇÃO DO CiTAM

Centro de Interface Tecnológico do Alto Minho

A 2 e 9 de Julho, nos serviços centrais do Instituto Politécnico de Viana do Castelo ocorreu a apresentação do CiTAM – Centro de Interface Tecnológico do Alto Minho para empresas da região. A apresentação contou com o testemunho da Eng. Teresa Martins, CEO da Neadvance, sobre o estabelecimento de parceria em contínuo com instituições de Inovação e Investigação, sobre a divisão do risco no desenvolvimento de projetos de Investigação e desenvolvimento e a complementaridade de competências.

apresentacao-CiTAM

Nos próximos meses, iniciativas semelhantes irão decorrer em municípios do Alto Minho com o objectivo de apresentar o projeto a investidores e potenciais interessados na implementação do CiTAM na região, em concreto – Arcos de Valdevez.

O CiTAM surge como oportunidade de alavancar a competitividade do Alto Minho, assim como das instituições que integram o seu ecossistema de inovação, as instituições de ensino superior, as empresas, as administrações locais e as entidades associativistas.
As entidades envolvidas neste ecossistema partilham uma visão estratégica em que pretendem assegurar que a investigação a desenvolver esteja alinhada com as necessidades e oportunidades de mercado, e que isso se traduza em inovação na oferta das empresas e contribua para o seu progresso.

Neste sentido, o CITAM tem como objetivos fundamentais:

›          Reforçar a competitividade do Alto Minho;

›         Posicionar a atividade dos domínios da Indústria 4.0 com investigação aplicada e no estabelecimento e manutenção de relações com empresas;

›        Apostar numa equipa coesa, especializada em investigação aplicada e no estabelecimento e manutenção de relações com empresas;

›       Capacitar a região do Alto Minho e o tecido empresarial na captação de mais financiamento para o investimento em Inovação e IDT das empresas do Alto Minho;

›       Garantir sinergias de investimento de instalação recorrendo a infraestruturas e competências já existentes:

I. Instalações in.Cubo

II. Recursos técnicos e humanos do IPVC

Quem investe no CiTAM alcança uma oportunidade de aposta em inovação e I&DT em parceria através do acesso de competências especializadas, desenvolvimento de atividade de investigação, diminuição do risco de investimento em IDT sem comprometer os objetivos estipulados e a diminuição do tempo entre a investigação e a colocação no mercado.

O CiTAM é uma iniciativa conjunta do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, Comunidade Intermunicipal do Alto Minho, Município de Arcos de Valdevez, CEVAL – Confederação Empresarial do Alto Minho e In.Cubo – Incubadora de Iniciativas Empresariais Inovadoras.

Bruna Parente
Estratégia & Desenvolvimento

ALTO MINHO | APOIOS PARA OS TERRITÓRIOS DE BAIXA DENSIDADE

Existem avisos exclusivos para os territórios de baixa densidade, um pouco por todo o país, como forma de contrariar o êxodo da população. Para a região do Alto Minho são considerados municípios de baixa densidade: Arcos de Valdevez, Melgaço, Monção, Paredes de Couras, Ponte da Barca e Vila Nova de Cerveira. A par destes municípios, são consideradas algumas freguesias dos restantes municípios do distrito de Viana do Castelo.

Para a região do Alto Minho existem duas medidas de apoio, a +CO3SO Emprego e Inovação Produtiva.

alto-minho_baixa-densidade

A primeira medida tem com objetivo apoiar as PME na contratação de desempregados e inativos inclusive criando o seu próprio emprego. De acordo com o número de postos de trabalho criados, o apoio a usufruir varia de 1,5 a 2,5 do Indexante dos Apoios Sociais (IAS = 438,81€), podendo beneficiar uma majoração de 0,5 IAS, se a empresa tiver menos de 5 anos de atividade ou o perfil do desempregado a contratar cumprir um dos requisitos listados para esse efeito. O apoio tem a duração de 30 meses e incide sobre 12 meses de vencimento, os correspondentes encargos com a Segurança Social a cargo da entidade patronal, ao qual acresce 40% do apoio do vencimento para custos associados para a criação de postos de trabalho que são atribuídos automaticamente.

Os avisos existentes apresentam uma dotação de cerca de 400 000€.

Há um apoio adicional, + CO3SO Urbano que consiste na mesma medida, mas dirigida a territórios que não são considerados de baixa de densidade e com condições de apoio distintas.

A segunda medida de apoio dirige-se a todas as empresas, independentemente da sua dimensão, para aquisição de equipamento produtivo. Este incentivo pretende apoiar a produção de novos produtos ou produtos significativamente melhorados ou a introdução de novos processos ou processos significativamente melhorados, e desta forma, impulsionar a adoção de inovação junto das empresas de territórios de baixa densidade.

Estas medidas foram alvo de um webinar, divulgado na sexta-feira dia 24 de julho, através da página do Facebook da Confederação Empresarial do Alto Minho, onde foram apresentados vários cenários com a simulação do incentivo a receber. Para assistir, clique aqui.

Edite Rodrigues
Estratégia & Desenvolvimento

CONCURSOS ABERTOS PARA APOIAR A CRIAÇÃO DE EMPREGO

+ CO3SO Emprego 

Contratação de Recursos Humanos e Criação do Próprio Emprego

 

CO3SO-EMPREGO

O + CO3SO (COnstituir, COncretizar e COnsolidar Sinergias e Oportunidades) é um conjunto de programas transversais e multissetoriais destinados a empresas, entidades da economia social e entidades do sistema científico e tecnológico.

Neste momento, estão abertas candidaturas nas 3 modalidades do programa: +CO3SO – Emprego Interior, +CO3SO – Emprego Urbano e +CO3SO – Emprego Empreendedorismo Social para concelhos e freguesias específicos do continente geridos por Grupos de Ação Local.

Consulte AQUI todos os concursos publicados e os respectivos territórios abrangidos, até à data, que visam apoiar os custos com os postos de trabalho.

O financiamento será atribuído a fundo perdido ao longo de 36 meses e comparticipa a 100% os custos diretos (remunerações, despesas contributivas – taxa social única) com os postos de trabalho criados, bem como um apoio adicional de 40% para custos associados à criação de postos de trabalho.

Os avisos destinam-se a micro, pequenas e médias empresas (PME) e para Entidades da Economia Social como Instituições Particulares de Solidariedade Social, Associações e Fundações, Cooperativas, Associações Mutualistas, Misericórdias, entre outros.

A título de exemplo, sempre que sejam criados até três novos postos de trabalho, o apoio por cada trabalhador contratado poderá ser de 1.850 euros por mês, até ao máximo de 36 meses. Cada empregador poderá, de acordo com o regulamento, beneficiar de um máximo de 200 mil Euros do fundo europeu.

Modalidades:

+CO3SO – Emprego Interior | territórios de baixa densidade / interior do país: Apoio por cada trabalhador contratado é de até 1.900 euros por mês

+CO3SO – Emprego Urbano | territórios urbanos / litoral: Cada trabalhador contratado pode atingir 1.500 euros por mês.

+CO3SO – Emprego Empreendedorismo Social | IPSS e entidades equiparáveis com projetos de empreendedorismo social:  apoio máximo por cada novo trabalhador é de cerca de 2.200 euros por mês

 

Data Limite para apresentação de candidaturas:

1.ª fase até 15/09/20
2.ª fase até 16/11/20

 

Contacte-nos  para rastrear se estes incentivos são para a sua atividade ou projeto!

SOMOS “INOVADORES FORTES”

Portugal subiu seis lugares no ‘ranking’ da European Innovation Scoreboard (EIS) em termos de inovação e atingiu a melhor classificação de sempre, sendo agora considerado um país “fortemente inovador”.ranking-inov-EU-big

O anúncio foi feito pelo Ministério da Ciência e Tecnologia que explicou que, de acordo os dados do Painel Europeu de Inovação 2020 divulgado esta semana pela Comissão Europeia, Portugal é agora o 12.º país mais inovador da União Europeia e integra o grupo de países considerados “inovadores fortes”, o segundo mais elevado da hierarquia, do qual fazem parte a Bélgica, Alemanha, Áustria, Irlanda, França e Estónia.

O ambiente favorável à inovação, a atractividade dos sistemas de investigação e a penetração de banda larga, indicadores em que Portugal se encontra acima da média da EU, foram apontados pelo relatório como os principais fatores que colocam Portugal na linha da frente da inovação.

Pelo segundo ano consecutivo o nosso país é líder numa das áreas contempladas – inovação nas pequenas e médias empresas – tendo em conta indicadores que exprimem a percentagem destas empresas com inovação de produtos ou de processos, de estratégias de marketing ou organizacional diferenciadoras e PME inovadoras que colaboram com outras PME.

Outro dado que ressalta do relatório é o facto do desempenho da União Europeia (UE) em matéria de inovação ter vindo a melhorar desde há cinco anos consecutivos e, pela segunda vez, a inovação na Europa superar a dos Estados Unidos, da Rússia e da China.

No entanto, foram deixados alguns alertas: a UE tem de fazer mais progressos para se aproximar dos líderes de inovação a nível global, designadamente Coreia do Sul, Austrália e Japão, grupo do qual tem vindo a distanciar-se, e estar atenta ao desempenho da inovação na China que cresceu mais de cinco vezes do que a União Europeia desde 2012.

Com o objectivo de colocar a UE na vanguarda da investigação e da inovação a nível mundial a CE tem já em negociação com os estados membros o Horizonte Europa, o novo programa-quadro para apoio à investigação científica e à inovação na União Europeia para o período 2021-2027. Espera-se que o Horizonte Europa seja o ambicioso programa de Investigação e Inovação de sempre.