Todos os artigos de multisector

CONCURSO INOVAÇÃO PRODUTIVA ATÉ 30 DE AGOSTO

LISBOA | ALENTEJO | ALGARVE

Financiamento até 75% de incentivo:

metade a fundo perdido,
 a outra metade a título reembolsável sem juros.

INOV-PROD-2019

42,5 MILHÕES DE EUROS PARA PROJETOS DE INOVAÇÃO PRODUTIVA

Aviso 15/SI/2019

Aumento do investimento empresarial das grandes empresas em atividades inovadoras 
Reforço da capacitação empresarial das PME para o desenvolvimento de bens e serviços
 Inovação de Produto e de Processo
Inovação de Marketing e Organizacional (apenas para PME)

 

Financie os seus investimentos e não se atrase!

Para mais informações contacte-nos!

CANDIDATURAS SIFIDE – A RAZÃO (E NÚMEROS) DO NOSSO SUCESSO

Terminou a 31 de maio o prazo para a submissão de candidaturas ao SIFIDE (“Benefícios Fiscais à Investigação e Desenvolvimento Empresarial”) para as empresas que tenham ano fiscal igual ao ano civil. Para a Multisector, é agora tempo de efetuar o balanço, dando a conhecer ao mercado os nossos números, que nos enchem de orgulho, e nos permitem afirmar como especialistas neste tipo de candidaturas. Damos a conhecer os resultados apurados no SIFIDE 2017 relativamente às candidaturas que apresentamos em nome dos nossos clientes:

logo-SIFIDE-MULTISECTOR

sifide-2017_Multisector

Mantivemos uma taxa de aprovação do Benefício fiscal acima dos 95% e ainda está um dossier em análise, o que pode melhorar o rácio.

Sobre as Candidaturas ao SIFIDE 2018 recentemente submetidas, temos os seguintes indicadores:

sifide-2018_Multisector

Conclui-se que em 2018 aumentámos o número de dossiers e, consequentemente, o número de projetos apresentados. Isto demonstra a qualidade dos nossos serviços e a confiança dos nossos clientes, que tem contribuído para que todos os anos o número de empresas que se candidatam connosco a esta medida seja maior.

A nossa oferta é diferenciada, não só pela metodologia que usamos, mas também pelas equipas técnicas envolvidas. Dispomos de duas equipas distintas, mas que trabalham em conjunto para o sucesso destas candidaturas. Por um lado consultores de Gestão Empresarial, com largos anos de experiência no apuramento do Beneficio Fiscal, por outro lado, uma equipa de Engenheiros de diferentes áreas de formação tecnológica responsáveis pela descrição técnica dos projetos de Investigação e Desenvolvimento.

Mas os bons resultados devem-se, essencialmente, ao trabalho sério que realizamos, com um levantamento rigoroso junto dos responsáveis de cada projeto de I&D, acerca do trabalho realizado no ano em causa, aprofundando para cada projeto o grau de inovação e o seu teor de I&D, assim como, a aferição de todos os custos, das diferentes naturezas, associados a cada projeto de I&D.

Outra das razões do nosso sucesso é a experiência e know-how da Multisector que faz candidaturas SIFIDE desde que esta medida de apoio fiscal empresarial foi criada. Acresce que, ao sermos igualmente reconhecidos no mercado pela elaboração de candidaturas aos diversos Sistemas de Incentivos à I&DT, dominamos todas as variáveis-chave necessárias na descrição de um projeto de I&D, mesmo quando ainda não passam de ideias ou intenções.

Somos criteriosos na seleção dos projetos de I&D. Só “vamos a jogo” se acreditamos que o projecto tem mérito. Salienta-se que a Multisector não trabalha sob o modelo do sucess-fee puro e duro, ao contrário da grande parte da nossa concorrência, pois defendemos que o nosso trabalho tem uma valorização mínima, assim como uma valorização máxima. Os resultados provam-no!

 

Contacte-nos!

 

Rui Fradinho
Responsável pelo Dept. Gestão Empresarial

 

Fernando Pinto
Responsável pelo Dept. I&D

100 ANOS DE GRAVITAÇÃO

lights-all-askew

Um dos mais notáveis avanços na história da ciência do século XX foi comprovado há 100 anos.

No dia 29 de maio de 1919, duas expedições britânicas fixadas intencionalmente na Ilha do Príncipe e em Sobral no Ceará no Brasil observaram e fotografaram o sol e as estrelas, num momento especial – o eclipse solar total.

Só assim, com estas condições, com o sol escondido seria possível validar a teoria física mais fabulosa do génio cientista Albert Einstein – a Teoria da Relatividade Geral.

Uma Lei da gravidade nova. A gravidade são os objectos em movimento na geometria invisível do universo. Todos os objetos massivos, toda a energia tem efeitos nessa geometria e altera a dinâmica do cosmos no espaço-tempo que não é por isso imutável, como pensava Newton.

 

 

Diversas tentativas anteriores tinham fracassado para demonstrar que a luz de uma estrela quando chega a nós sem interferências, segue uma linha direita no espaço. Mas ao passar muito perto do sol, a linha desvia-se, é encurvada e a estrela nota-se que se afasta um pouco do sol. Assiste-se ao encurvamento gravitacional da luz.

Em finais de 1915, Einstein tinha publicado um pequeno artigo onde apresentava o seu trabalho de há vários anos e propunha que se medissem a posição das estrelas sem nada a sua frente e que depois medissem a posição das estrelas com um eclipse total – ocasião favorável para medir desvios de raios de estrelas por trás do Sol  – para compararem as suas posições. Só assim seria possível verificar a verdade da sua teoria, que a matéria-energia deforma o espaço-tempo.

 

O espaço e o tempo não eram absolutos, o espaço-tempo não é plano, defendia Einstein.

A Europa estava em guerra. A Primeira Guerra Mundial dificultava a troca de informações entre cientistas, principalmente quando estavam em lados opostos.

 

Mas um jovem pacifista e brilhante astrofísico inglês, Arthur Eddington, recebeu uma cópia desse artigo e reconheceu a importância da nova teoria.

 

É a partir daqui que tudo se desenrola e o pós-guerra torna-se favorável para as aventuras que levaram as duas equipas de astrónomos a observar e registar o eclipse solar comprovando-se como certa uma nova teoria do universo, que alterou a geometria do espaço e a trajectória da luz das estrelas.

albert-einstein-inovacao

Foi há 100 anos que a experiência científica comprovou o poder do pensamento, da mente humana, do espírito humano incompreendido por tantos – Albert Einstein.

 

 

A inovação e os pensamentos felizes inspiram-nos!

 

Ana Almeida
Marketing

RUMO À DIGITALIZAÇÃO COM O ALTO MINHO 4.0

digitalizacao

 

No âmbito do Portugal 2020 existem diversos instrumentos de apoio, mas um dos mais importantes para as PME é o Sistema de Incentivos à Qualificação das PME, concentrado na modalidade de Projetos Conjuntos.

 

Foi neste sentido que a Multisector em conjunto com a CEVAL – Confederação Empresarial do Alto Minho desenharam o projeto Alto Minho 4.0, que foi recentemente aprovado, com 50% de incentivo a fundo perdido.

O projeto “Alto Minho 4.0” visa o desenvolvimento e o aumento da competitividade global das PME envolvidas. Com este objetivo, foram definidas duas ações primordiais/obrigatórias, a fim de proporcionar um boost na competitividade:

 

• CONTROLO DE GESTÃO ESTRATÉGICO

 

De forma sintética, este serviço irá fornecer:
Auditoria à gestão, aos processos e as pessoas
→ Analisar os pontos críticos de cada empresa integrada no projeto
→ Definir e implementar soluções observadas por especialistas
→ Acompanhamento e monitorização contínua para
→ Identificação e implementação de ações corretivas

 

• DIGITALIZAÇÃO DO NEGÓCIO

 

Este pilar assenta numa vertente mais tecnológica, para que haja uma melhoria, desmaterialização e fluidez nos processos com a ajuda das tecnologias. Esta intervenção prevê:
Mapeamento dos processos e fluxos de informação dos sistemas utilizados para conseguir
→ Análise crítica dos processos recolhidos
→ Mapa de otimização por via da desmaterialização
→ Acompanhamento do processo de contratação dos fornecedores e apoio na implementação

Estão ainda previstas outras ações, de caráter opcional para a empresa, no caso de se verificar validade para a aquisição desses serviços:

 

DISTRIBUIÇÃO E LOGÍSTICA para prever a melhoria da logística interna da empresa no objetivo de reduzir os desperdícios

→ AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO para proporcionar um ambiente mais saudável e propício à melhoria contínua

 Aquisição de SOFTWARE necessário à digitalização do negócio

 OTIMIZAÇÃO E QUALIDADE, serviço que permitirá a empresa ter os seus processos padronizados com as normas internacionais (ISO 9001, LEAN e EFQM)

 CERTIFICAÇÃO dos processos por parte de uma entidade externa, caso a empresa ache pertinente

As empresas terão ainda acesso a workshops temáticos para capacitação dos seus recursos humanos e consolidação de conhecimentos que permitem que a implementação do projeto seja bem-sucedida.

 

Este projeto tem uma dotação de apenas 10 empresas. Vai deixar escapar esta oportunidade?

 

Para mais informações contacte a CEVAL ou a Multisector!

 

Luís Martins
Estratégia & Desenvolvimento

QUAL O RUMO DA UNIÃO EUROPEIA PARA OS PRÓXIMOS ANOS?

As eleições para o Parlamento Europeu ocorreram no passado dia 23 a 26 de Maio, e os europeus tiveram a oportunidade de eleger os seus representantes para o horizonte de cinco anos.

 

Uniao-Europeia

 

 

As eleições efetuaram-se na sombra do Brexit e os resultados ditaram alterações significativas: a perda da maioria por parte dos socialistas e populares e a ascensão dos liberais e os verdes, resultando numa elevada fragmentação partidária.  Tal facto, permitirá que as discussões políticas direcionem os seus focos de discussão para novas preocupações. Estas determinarão as linhas de ação para o futuro da União Europeia. Mas qual é efetivamente o rumo a tomar para os próximos anos?

Alterações climáticas

As alterações climáticas são uma das grandes preocupações dos europeus. Sinónimo disso é o partido os verdes, hoje, representar a terceira força política no parlamento. Os cidadãos estão a colocar pressão junto dos seus líderes para a tomada de decisões sobre as alterações climáticas.

Reforma do Euro

O euro e a crise das dívidas soberanas de alguns países do território europeu preocupam os cidadãos. A reforma do euro está em curso, em junho novos passos serão anunciados sobre esta política.

Migrações

O problema das migrações arrasta um conjunto de desafios sociais, humanos, políticos, e demográficos, e uma tendência mundial de aumento do efeito de grupos nacionalistas (é exemplo os Estados Unidos América – Donald Trump ou o Brasil – Jair Bolsonaro), ou até mesmo extremistas como é o caso de França e Itália que elegeram eurodeputados de uma forma mais expressiva nestas eleições. Por isso, a União Europeia tem de olhar para as pessoas, definir uma política de migrações estruturada. A Europa tem de assumir as suas responsabilidades perante o mundo enquanto projeto de paz e de direitos humanos.

 

De acordo uma sondagem do European Council on Foreign Relations, 2/3 (dois terços) dos europeus veem a integração na União Europeia como algo positivo, ¾ acreditam que esta não é funcional. De facto, as necessidades da sociedade continuam sem ser satisfeitas e esta vontade foi manifestada nas urnas.

 

Espera-se que a mudança traga um novo rumo para a Europa e para os cidadãos.

 

Traduzir melhor a Europa para os cidadãos e traduzir melhor os cidadãos para a Europa

 

Bruna Parente
Estratégia & Desenvolvimento

A TÂNIA E A MULTISECTOR – MAIS QUE UM ESTÁGIO, UMA EXPERIÊNCIA

tania-lopes-artigo

 

Com o objetivo de finalizar a minha licenciatura em Marketing, no Instituto de Contabilidade e Administração do Porto, elegi a Multisector para realizar o meu estágio curricular, que teve início em fevereiro. Aqui, tive a oportunidade de conhecer o mercado B2B e aplicar os conhecimentos teóricos que adquiri ao longo de 3 anos.

Sendo este, o meu primeiro contacto com o funcionamento do mercado B2B, o entusiasmo e as perspetivas eram elevadas. Desde o início, fui recebida de forma excecional, num ambiente empreendedor, por uma equipa jovem e trabalhadora, que muito tinha para me ensinar. Para além de um excelente ponto de partida para o início de um percurso profissional, a Multisector permitiu-me percecionar melhor o ambiente e cultura organizacionais.

O estágio foi realizado no departamento de Estratégia & Desenvolvimento. A minha função, enquanto estagiária, foi auxiliar ao nível da minha área de estudo e, por isso, uma das minhas primeiras tarefas consistiu na elaboração de um template, para aplicar em documentos word, de forma a standardizar entre departamentos a informação que é enviada para os clientes.

Outra das minhas tarefas, e a que exigiu de mim uma maior responsabilidade, foi a gestão contínua das páginas da Multisector nas redes sociais, tanto do Facebook como do Linkedln, com o objetivo de aumentar a notoriedade e credibilidade de ambas e que se mantivessem constantemente ativas.

Realizei ainda, um estudo de oportunidade, em que fiz o levantamento de dados relativos a capitais de risco e a startups existentes na região do Minho. Este estudo permitiu à Multisector avaliar de forma clara a oportunidade de desenvolver um novo serviço.

Outra das minhas atividades, foi a realização de uma campanha digital, que assentou no envio de uma mensagem através do Linkedln pessoal da diretora do departamento, Irina Machado, a todos os gerentes, diretores de departamentos, CEOS ou administradores de empresas. O objetivo da campanha era identificar e alcançar potenciais clientes.

Foi ainda desenvolvido por mim, um estudo da concorrência, estratégias para superar a intangibilidade dos serviços e sugestões de como deve a Multisector comunicar interna e externamente.

A minha passagem na Multisector, foi uma experiência enriquecedora que contribuiu para o desenvolvimento das minhas competências interpessoais, científicas e pessoais. Aprendi a gerir melhor o meu tempo, a ter método de pesquisa e a pôr em prática os meus conhecimentos teóricos.

Agradeço às pessoas que estiveram à minha volta, de quem fui retendo informações, tanto de marketing como de outras áreas que, com certeza, me vão ajudar no futuro. Sinto que vou mais bem preparada para o mundo do trabalho.

Assim, com o término do estágio, deram-se por concluídas todas a atividades descritas no planeamento inicial e a sensação de dever cumprido.

Tânia Lopes
Licenciada em Marketing
————————————–
Para novos desafios académicos e profissionais
na área de gestão comercial:
@: tania.pp.lopes@gmail.com
tlm: 925 359 270

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL COM INCENTIVO DE 45% A FUNDO PERDIDO

transformacao-digital

 

A digitalização dos modelos de negócio, também conhecida como Transformação Digital entrou com Força (sim com ‘F grande) no mercado nacional e internacional, com empresas de todas as dimensões e sectores de atividade a tirarem partido dos benefícios que a aplicação da tecnologia aos modelos de negócio tem para oferecer. A digitalização/indústria 4.0 não é um investimento apenas orientado ao domínio de marketing e de produtivo/tecnológico da empresa, é sim uma necessidade e vantagem competitiva para empresas e organizações numa a economia globalizada e online.

Sabia que “67% do processo de decisão e compra agora é feito digitalmente”? Isto significa que as estratégias da sua empresa deverão estar alinhadas para gerar e impulsionar resultados. Diminuir custos, acelerar processos, melhorar a comunicação, vender mais e mais longe são apenas alguns dos benefícios da transformação digital. Basta olhar para as empresas mais bem-sucedidas do mercado para verificar que existe uma relação entre o grau de digitalização e o crescimento da empresa.

Onde queremos chegar com isto?

 

Os serviços de digitalização da Multisector são agora apoiados no âmbito do Sistema de Incentivos à Qualificação das PME (AVISO N.º 06/SI/2019).

 

O concurso só está aberto até 31 de Maio e possui um orçamento record de 21,5M€ e pretende reforçar as capacidades de organização e gestão das PME, incluindo, o investimento em desenvolvimento das capacidades estratégicas e de gestão competitiva, redes modernas de distribuição e colocação de bens e serviços e a utilização de TIC.

Na Multisector pode contar com uma equipa preparada para auxiliar o empresário desde a fase de design do projeto até à implementação e acompanhamento administrativo-financeiro do mesmo.

 

Com o fim do Portugal 2020, vai perder a oportunidade de realizar o seu projeto com incentivos de 45% a fundo perdido? Fale connosco hoje mesmo!

 

Saiba mais sobre as rubricas elegíveis [aqui]

 

João C. Soares
Consultor em Estratégia & Desenvolvimento

VAMOS “VESTIR” AS EMPRESAS COM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

POSEUR – Primavera/Verão 2019

O PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos é um dos 16 programas existentes para a operacionalização da Estratégia do Portugal 2020 e pretende fomentar o crescimento sustentável. Uma das Prioridades do Investimento do programa prevê a “Promoção da eficiência energética e da utilização das energias renováveis nas empresas” através da implementações de ações que visem aumentar a eficiência energética e a utilização de energias renováveis.

eficiencia-energetica -energias-renovaveis-nas-empresas

Qualquer empresa, independentemente da dimensão e sector de atividade, é entidade beneficiária desde que os imóveis objetos de intervenção sejam propriedade da empresa ou disponham de contrato de arrendamento com duração compatível com o tempo de vida útil dos investimentos. Nas regiões Norte, Centro, Alentejo e Algarve a taxa máxima de financiamento sobre o investimento é de 70%, na região de Lisboa 50% é a taxa máxima, desde que observados os limites de intensidade de auxílio em caso de Ajudas de estado.

As tipologias de operações financiadas englobam a intervenção nos processos produtivos das empresas que demonstrem os respetivos ganhos financeiros líquidos nas seguintes intervenções:

 

a) Optimização e instalação de tecnologias e sistemas energeticamente eficientes ao nível dos processos produtivos;

b) Optimização e instalação de tecnologias e sistemas aos processos produtivos;

c) Intervenções na envolvente opaca de edifícios climatizados ou refrigerados;

d) Intervenções na envolvente envidraçada de edifícios climatizados ou refrigerados;

e) Intervenções nos sistemas técnicos instalados;

f) Intervenções de implementação de sistemas de gestão técnica de energia;

g) Aquisição de veículos eléctricos ou de veículos com motorização a gás natural veicular, desde que não aumente a dimensão da frota;

h) Conversão de veículos próprios para gás natural veicular.

Nas tipologias de operações financiadas também são abrangidas as ações de intervenção ao nível da promoção de energias renováveis nas empresas para autoconsumo, desde que façam parte de soluções integradas. Estas despesas são elegíveis mas limitadas a 20% do montante de investimento, não considerando o montante de investimento em produção de energia em fontes de energia renováveis.

Limitadas a 5% do valor do investimento, as operações de realização de auditorias, diagnósticos e outros estudos e trabalhos necessários à realização do projeto são elegíveis , desde que não sejam obrigatórios por lei, assim como a avaliação e acompanhamento do desempenho e da eficiência energética do investimento.

poseur-logo

 

O PO SEUR é uma oportunidade para converter as empresas em organizações mais sustentáveis e diminuir a dependência energética. Uma oportunidade que tem previsão de abertura no 3.º trimestre de 2019 através do primeiro concurso para o investimento da eficiência energética nas empresas.

Para aceder a este incentivo é essencial apresentar um estudo de impacto rigoroso, assim como demonstrar a viabilidade e rentabilidade do investimento – conte connosco para este o apoiar neste exercício.

 

Bruna Parente
Consultora em Estratégia & Desenvolvimento

CONTRATAR RH ESPECIALIZADOS

Apoio de 50% a fundo perdido para contratação de licenciados, mestres, doutorados e pós-doutorados

contratacao-rh-especializados

Se está a pensar em contratar recursos humanos altamente qualificados saiba que existe apoio para o fazer.

 

Os Programas Operacionais Regionais do Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve publicaram os avisos de abertura (AVISO NORTE-59-2018-42, AVISO CENTRO-59-2018-22, AVISO LISBOA-59-2018-40, AVISO ALT20-59-2018-50, AVISO ALG-59-2018-29, respetivamente), que apoiam a contratação de recursos humanos altamente qualificados (RHAQ) dotados de grau académico com nível de qualificação igual ou superior a 6 (licenciados, mestres, doutorados ou pós-doutorados), no caso do Norte, Centro, Alentejo e Algarve, e nível de qualificação 8 (doutoramento), no caso de Lisboa, como elementos fundamentais (massa crítica) no suporte ao desenvolvimento de processo que promovam a inovação empresarial.

O objetivo principal é, pela criação de emprego altamente qualificado, fazer com que as empresas (PME) passem a dispor de novos colaboradores que sejam indutores do reforço da sua competitividade, na adaptação das empresas e dos trabalhadores a um mundo em mudança (ie, num mercado cada vez mais globalizado e competitivo), bem como que dinamizem e intensifiquem as interações com as Entidades do Sistema Nacional de Investigação e Inovação, promovendo a cooperação e o trabalho colaborativo. Adicionalmente é relevante o alinhamento do reforço de competitividade com a estratégia de I&D para uma especialização inteligente (RIS3 regional).

É pois necessário em sede de candidatura, enquadrar cada um dos novos RHAQ a contratar (uma candidatura pode e deve – é melhor pontuada – ter mais do que uma nova contratação) pelo promotor (PME) nos domínios da Qualificação, da Internacionalização e da Investigação, Desenvolvimento e Inovação (I+D+I), sendo por isso importante antes de mais haver um correto enquadramento da temática da inovação nas áreas críticas de negócio e a identificação das lacunas atuais da empresa nas mesmas.

Taxa de incentivo e Despesas elegíveis

Quantos aos apoios, são de 50% a fundo perdido (“incentivo não reembolsável”) sobre as despesas elegíveis, as quais reportam aos Custos Salariais com a contratação de RHAQ, pelo período máximo de 36 meses, nomeadamente:

o Salário Base (conjunto de todas as remunerações de carácter permanente sujeitas a tributação fiscal e declaradas para efeitos de protecção social do trabalhador), com um limite mínimo do salário base mensal de 1 500€ e até aos seguintes valores máximos de despesa elegível:

RHAQ de nível 6 (licenciatura): 1 613,40€;
RHAQ de nível 7 (mestrado): 2 025,35€;
RHAQ de nível 8 (doutoramento ou pós-doutoramento): 3 209,67€;

o Encargos Sociais obrigatórios:

 – Despesa com a Segurança Social paga pela empresa (23,75% normalmente);
 – Seguro de Acidentes de Trabalho;

o Subsídios de Férias e de Natal.

Condições de acesso

a. Promotor ser PME (com “certificado digital PME” devidamente atualizado).
b. Área geográfica de aplicação: NUTS II do Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve. A localização é onde se localiza o estabelecimento da empresa no qual será(ão) criado(s) o(s) posto(s) de trabalho.
c. PME com atividade económica que visa a produção de bens e serviços transacionáveis e internacionalizáveis ou que contribuam para a progressão na cadeia de valor.
d. Ter data de candidatura anterior à data de início dos investimentos com a contratação de Recursos Humanos Altamente Qualificados, ie, não pode incluir despesas anteriores à data da candidatura;
e. Autonomia Financeira no ano pré-projeto (2017) de pelo menos 15,00%;
f. Duração máxima do investimento de 36 meses;
g. Registar-se a Criação Líquida de Postos de Trabalho nos RHAQ (pela diferença entre a média mensal do ano de conclusão do projeto e do ano pré-projeto);
h. PME beneficiária deve comprometer-se a manter na empresa os postos de trabalho apoiados durante 3 anos após a data da conclusão do apoio (os RHAQ podem ser substituídos por outros de qualificação mínima equivalente);
i. Região NUTS II do Norte, Centro, Alentejo e Algarve: Recursos Humanos Altamente Qualificados a contratar devem deter Grau Académico com nível de Qualificação igual ou superior ao nível 6: licenciados, mestres, doutorados ou pós-doutorados.
j. Região de Lisboa: nível 8 (doutorados ou pós-doutorados);
k. Esse grau académico deve ser atribuído por Instituições de Ensino Superior portuguesas (ou estrangeiras desde que reconhecido à luz do disposto no DL nº 66/2018, de 16 agosto);
l. Licenciados e Mestres terão que evidenciar especialização profissional específica relevante na área da contratação (em contexto empresarial ou regional); Licenciados mínimo de 5 anos de experiência profissional;
m. Apresentar programa de inserção e acompanhamento dos novos RHAQ na dinâmica da empresa;
n. Existência de Contrato de Trabalho entre o trabalhador e a PME, com duração mínima de 24 meses;
o. Trabalhadores a contratar não podem:
Ter tido vínculo de trabalho com a PME nos 12 meses anteriores à candidatura;
Corresponder a postos de trabalho de Gerentes, Administradores, Sócios ou Accionistas da PME;
p. Ser sustentado por uma adequada Memória Descritiva da operação, a anexar à candidatura;
q. Cumprir com os Anexos exigidos.

Apresentação de candidaturas

Está a decorrer a segunda fase de candidaturas que termina a 31 de maio de 2019 (18h) para todos os avisos.

o Fase 3:  31 de maio de 2019 (após as 18h) a 30 de agosto de 2019 (18h);
o Fase 4:  30 de agosto de 2019 (após as 18h) a 13 de dezembro de 2019 (18h) -excepto o aviso de Lisboa que não contempla esta quarta fase.

Comece a preparar a sua candidatura! Caso necessite de algum esclarecimento sobre este apoio, consulte-nos.

 

Somos uma empresa e uma equipa com larga experiência em candidaturas (mais de 20 anos);
Acompanhamento ao cliente em todo o processo, sem custos adicionais;
Elevada taxa de sucesso de aprovação nos vários Sistemas de Incentivos do PT2020;
Foco nos pontos-chave para potenciar o Mérito do Projeto (classificação da candidatura para hierarquização em cada Aviso de Abertura de Concurso);
Extremo cuidado com a verificação das condições de elegibilidade e realização de uma análise estratégica da empresa;
Enquadramento na estratégia de inovação da empresa.

 

Rui Fradinho
Gestão Empresarial

QUALIFICAÇÃO DAS PME ATÉ 31 MAIO

Com valor orçamental record de 21,5 M€
45% Fundo Perdido | Investimento mínimo de 25 mil euros | Continente

qualificacao-industria

AVISO N.º 06/SI/2019
Sistema de Incentivos à Qualificação das PME

Para projetos que visem ações de qualificação de PME em domínios imateriais com o objetivo de promover a competitividade das PME e sua capacidade de resposta no mercado global, enquadrados nos Programas Indústria 4.0 e na Medida 2 do Eixo I do 3 em Linha – Programa para a Conciliação da Vida Profissional, Pessoal e Familiar.

São suscetíveis de apoio os projetos com investimentos de:

 

Reforço das capacidades de organização e gestão das PME, incluindo, o investimento em desenvolvimento das capacidades estratégicas e de gestão competitiva, como sistemas de gestão da conciliação da vida profissional, pessoal e familiar, redes modernas de distribuição e colocação de bens e serviços e a utilização de TIC.

Inovação organizacional e gestão 

→ Contratação de Recursos Humanos Qualificados

→ Estudos de Arquitetura e Engenharia

→ Ações de Benchmarking

→ Estudos de Mercado

→ Planos de Gestão e Marketing

Economia digital e tecnologias de informação e comunicação (TIC)

→ Criação de Website

→ Criação de Loja Online

→ Criação de Vídeo

→ Criação de Catálogo eletrónico

→ Promoção no Google e nas redes sociais (facebook, linkedin, …)

→ Criação de Apps

Criação de marcas e design

→ Conceção de Marcas e Produtos

→ Registo de Marca

Desenvolvimento e engenharia de produtos, serviços e processos

→ Criação ou reforço das capacidades laboratoriais, excluindo testes de qualidade dos produtos, protótipos e provas de conceito

Proteção de propriedade industrial

→ Registo de patentes, invenções, modelos de utilidade e desenhos

Qualidade

→ Certificações de Produto

→ Certificações no âmbito do sistema Português da Qualidade (SPQ)

→ Implementação de sistemas de gestão da conciliação entre a vida profissional, familiar e pessoal, devendo abranger a respetiva certificação acreditada designadamente, ao abrigo da NP 4552:2016

Transferência de conhecimento 

→ Aquisição de serviços de consultoria e assistência técnica, nos domínios da transferência de conhecimentos e certificação de sistemas de gestão da investigação, desenvolvimento e inovação

Distribuição e logística

→ Softwares – sistemas de informação aplicados a novos métodos de distribuição e logística

Eco-inovação 

→ Rótulo ecológico e sistema de ecogestão e auditoria EMAS

 

O Qualificação das PME é a solução ideal para iniciar o processo de revolução 4.0 da sua organização de forma financiada e competitiva.

 

A Multisector tem um equipa especializada para apoiar na construção de um plano intervenção de valor para a empresa e uma candidatura ganhadora para obtenção do incentivo.

 

Para qualquer esclarecimento contacte-nos!