Todos os artigos de multisector

MULTISECTOR É ENTIDADE ACREDITADA NOS VALES: COMÉRCIO E ECONOMIA CIRCULAR

A Multisector é entidade acreditada para a prestação de serviços no âmbito do Vale ComércioVale Economia Circular.

No caso do Vale Comércio, os serviços estão destinados à preservação e promoção de estabelecimentos comerciais de interesse histórico, cultural ou social, bem como à dinamização de PME das áreas do Comércio, Restauração e Serviços.

De forma resumida, pode contar com a Multisector para financiar a aquisição de serviços de consultoria nas seguintes vertentes:

• Inovação Organizacional e Gestão:
Definição de Modelos de negócios que preservem o património cultural, etnográfico e gastronómico;
  Modelos de organização de trabalho que promovam a gestão eficiente de recursos energéticos;
→  Estudos de comportamento do cliente;
  Otimização de soluções de logística e distribuição.

• Economia Digital e TIC:
→  Definição de Modelos de negócios voltados para a economia digital, que façam uso de ferramentas de marketing digital e da aposta na recolha / tratamento de dados;
→  Utilização de sistemas de gestão integrados para desmaterialização das relações com clientes e fornecedores.

 

No âmbito do Vale Comércio, o incentivo máximo é de 5 000€, valor este que representa uma oportunidade para se juntar a um conjunto vasto de empresas que já usufruíram dos serviços da Multisector para apanhar o comboio da revolução digital.

Relativamente ao Vale Economia Circular, os serviços visam promover alterações estruturais no paradigma económico nacional, pretendendo-se um tecido económico cada vez mais capaz de garantir que “o valor dos produtos, materiais e recursos se mantém na economia o máximo de tempo possível e a produção de resíduos se reduz ao mínimo”.

Visando apoiar a transição do tecido empresarial nacional para uma economia circular, que promova um crescimento sustentável, pode aproveitar o nosso know how nas seguintes áreas:

• Eco-design de processos e produtos:
Implementação de processos e produtos menos intensivos em recursos, dando prioridade à utilização de materiais renováveis, incluindo materiais recicláveis e ou de base biológica, e com menor perigosidade e risco (para as pessoas e o ambiente);

• Eco-eficiência:
→ Desenho de modelos de produção mais eficientes e mais limpos, produzindo mais, ao menor preço, com menos recursos, menos resíduos e menor impacto sobre o ambiente;

• Eco-inovação:
→  Desenvolvimento de processos de produção, serviço ou método de gestão de negócio inovadores;

• Simbioses industriais
  Desenho de parcerias estratégicas de negócio entre entidades que colaboram no uso eficiente dos recursos;

• Extensão do ciclo de vida dos produtos:
  Definição de modelos de negócio assentes em princípios que potenciem a manutenção, reparação, recondicionamento e remanufactura de produtos;

• Valorização de subprodutos e resíduos:
→  Promoção de iniciativas que visem a utilização inovadora de materiais provenientes de fluxos específicos de resíduos ou processos inovadores de fabricação de produtos a partir de resíduos/subprodutos;

• Novos modelos de negócio, desmaterialização e transformação digital:
→  Desenho de modelos empresariais baseados na locação, partilha, reparação, atualização ou reciclagem.

 

Com incentivo máximo de 7 500€, o Vale Economia Circular, representa uma oportunidade para as PME promoverem no seio das suas organizações um crescimento cada vez mais sustentável.

Se a sua empresa necessita de apoio em qualquer uma destas áreas,  a Multisector coloca ao seu dispor uma equipa especializada com larga experiência na prestação destes serviços.

 

Contacte-nos, a abertura destas candidaturas está para breve.

 

Paulo Lopes
Dept. Gestão Empresarial

PRÉMIOS INOVAÇÃO CCG | CANDIDATURAS ATÉ 16 OUTUBRO

Quase a fazer 25 anos de existência, o CCG – Centro de Computação Gráfica, já se afirmou no contexto nacional e internacional de Investigação aplicada, nos domínios da computação gráfica, das tecnologias da informação, comunicação e eletrónica.

“O aniversário é do CCG,
mas as prendas são para a inovação nacional”

 

O festejo deste aniversário é claramente uma milestone importante para o CCG e a comemoração foi devidamente integrada no projeto de Transferência de Tecnologia atualmente gerido e acompanhado pela Multisector – Innovation Consulting. É assim que surge o lançamento de 2 prémios CCG que visam premiar a Inovação e Empreendedorismo nacional:

 

premio-ideia-inovadora

O Prémio Ideia Inovadora, quer fomentar a divulgação do empreendedorismo, criatividade e inovação nacional. Este prémio é destinado a Startups portuguesas com menos de 3 anos que possuam uma ideia, protótipo ou MVP (produto mínimo viável) de um produto ou serviço dentro das Tecnologias de Informação Comunicação e Eletrónica (TICE), alinhado com os domínios de investigação aplicada em que o CCG atua.

 

Serão atribuídos prémios aos 1º, 2º e 3º lugares no valor de 3.000€, 2.000€ e 1.000€, respetivamente e ainda uma bolsa de horas de consultoria técnica dos especialistas do CCG para apoiar cada um dos premiados no desenvolvimento da sua ideia.

 

premio-produto-inovador

 

O segundo prémio, Prémio Produto Inovador pretende reconhecer a inovação realizada pelas empresas do tecido empresarial nacional, premiando e divulgando publicamente empresas portuguesas que tenham, nos últimos 3 anos, desenvolvido e introduzido um produto ou serviço inovador dentro dos domínios de I&DT em que o CCG atua.

 

O futuro é hoje e o CCG sabe bem isso, inúmeras empresas inovam sistematicamente com produtos e solução disruptivas no mercado e por isso, além de distinção produto inovador em questão, o CCG pretende também apoiar a empresa com um conjunto de horas de consultoria técnica e científica para que continuem no caminho da inovação.

 

Estes prémios são a oportunidade para distinguir, difundir e apoiar a sua empresa e/ou startup a dar o próximo passo. Não perca a oportunidade, as candidaturas podem ser submetidas até 16 de outubro 2018 e a sua entrega terá lugar num evento amplamente divulgado pelo ecossistema de inovação nacional.

 

João C. Soares
Dept. Estratégia e Desenvolvimento

CLIENTES | O FAROL DO CONTROLO DE GESTÃO

Desenvolver um sistema de controlo de gestão é um processo complexo pela quantidade de informação que é necessária recolher, triar e analisar. Por vezes é fácil ficar à deriva no meio dessa informação, mas é aqui que devemos colocar a prioridade máxima a iluminar a tomada de decisão – Os Clientes.

 

 

Vamos por pontos:

1. Raramente um negócio está no estágio idealizado e desejado pelos seus fundadores. Afinal, a procura da perfeição faz parte da natureza humana.

2. Assim sendo, a valia do meu negócio resulta da avaliação dos outros!

3. Quem são os outros?

No geral: a Sociedade medida pela notoriedade no setor, na região, nas classes profissionais, etc.

→ Diretamente: os chamados stakeholders, sócios, colaboradores, fornecedores ou mesmo financiadores;

→ PRINCIPALMENTE: os clientes e o seu grau de satisfação com os produtos e serviços.

Resumindo:

O foco da nossa atividade são os CLIENTES
 Os fundamentos da nossa existência são os CLIENTES
 E vivemos de e para os CLIENTES

 

Assim, os Clientes são o FAROL da viagem de implementação de um Sistema de Controlo de Gestão e devem estar presentes em todas as fases de implementação:

Diagnóstico, Arquitetura, Implementação e Monitorização.

 

João Lacão
Estratégia Empresarial

ALTO MINHO 4.0 | TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

ARC4DigiT – Tecnologias de Transformação digital para empresas

 

O IPVC enquanto pilar do ecossistema da Inovação da Região do Norte encetou, reuniu esforços e criou em 2018, um centro de investigação aplicado para a Transformação Digital – ARC4DigiT.

 

Inserido no IPVC, o ARC4DigiT reúne uma panóplia de competências de investigação fundamental e aplicada, baseadas na multidisciplinariedade dos seus investigadores, que se posicionam como especialistas em tecnologias de transformação digital em Segurança Informática, Big Data, Machine Learning, IoT e Arquitetura de Software com as mais variadas aplicações.

 

Com o objetivo claro de estar próximo das empresas, o ARC4DigiT reuniu um Conselho Consultivo onde estão, para além de investigadores, empresas de relevo e associações que têm como missão apoiar na definição das prioridades da unidade de investigação e acelerar os processos de transferência de tecnologia nos domínios da Transformação Digital.

 

Este foi precisamente o tema a que se subordinou o primeiro encontro do Conselho Consultivo do ARC4DigiT, que teve um formato de Think Tank. A dinâmica consistiu na criação de três grupos de discussão com dois propósitos subjacentes, que representaram as duas abordagens existentes à identificação de necessidades de inovação.

 

ALTO_MINHO_4-0

 

Por um lado, uma estratégia push innovation com a discussão por parte de investigadores de diferentes domínios, desde Engenharia de Software & Desenho de processos, Ciências Empresariais & Segurança, Jogos Sérios, Big Data, AI e Sistemas de Informação Geográfica.

 

Por outro lado, pull innovation com dois grupos que reuniram representantes da Saúde e do Turismo e agregadores do tecido empresarial regional, empresas TICE e investigadores do ARC4DigiT para discussão conjunta das necessidades percecionadas pelos adotantes da Transformação Digital.

 

As principais conclusões apontam para que os desafios e as oportunidades da era da transformação digital devam ter como base de ação a estreita cooperação entre entidades de saber e empresas TICE em colaboração com os utilizadores, que estão diariamente em contacto com a sua realidade empresarial.

 

Esta iniciativa propõe precisamente este confronto entre pull e push innovation a um nível cada vez mais próximo das PME que permite alavancar a competitividade das empresas e a notoriedade da região em matéria de Revolução 4.0.

 

Tem um desafio relacionado com a Transformação Digital? Então poderá recorrer ao IPVC e ao ARC4DigiT. Para tal basta partilhar aqui: http://www.ipvc.pt/DESAFIOS-DAS-EMPRESAS-AO-IPVC

 

Do que está à espera para elevar a fasquia da sua empresa para 4.0?

 

Edite Rodrigues
Estratégia & Desenvolvimento

APOIOS PARA O TURISMO DO INTERIOR ATÉ 30 DE SETEMBRO

A Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior tem como objetivo apoiar o investimento em projetos e iniciativas que, por meio de atividades com relevância ou interesse para o turismo, contribuam para o desenvolvimento do interior e para a coesão económica e social do território.

 

turismo-interior

 

Enquadram-se nesta Linha de Apoio as seguintes tipologias de projetos e iniciativas:

 

→ A valorização do património e dos recursos endógenos das regiões;

 O desenvolvimento de novos serviços turísticos, no contexto específico do enoturismo, do turismo equestre e do turismo militar;

 O desenvolvimento de novos serviços turísticos, no contexto do desenvolvimento de rotas, nomeadamente de natureza ou culturais;

→ O desenvolvimento de redes de oferta de infraestruturas de apoio ao autocaravanismo.

 

Através do Aviso para apresentação de candidaturas​, a linha disponibiliza um orçamento de 5 milhões de euros.

 

Estão abrangidos os territórios de baixa densidade de todas as regiões NUTS III identificadas no Anexo III da Resolução do Conselho de Ministros n.º 72/2016, de 20 de outubro.

 

A linha financia 70% do valor das despesas consideradas elegíveis, com o limite máximo de 150 mil euros para as empresas (apoio reembolsável) e de 300 mil euros para as demais entidades, incluindo as de natureza privada sem fim lucrativo (apoio não reembolsável).

 

As candidaturas à Linha de Apoio à Valorização Turística do Interior encontram-se em aberto até 30 de setembro de 2018.

 

Consulte as condições particulares desta medida aqui.

100 MIL MILHÕES DE EUROS PARA APOIAR A INVESTIGAÇÃO E A INOVAÇÃO ATÉ 2027!

Para o novo programa quadro – Horizonte Europa (2021-2027), a Comissão Europeia propõe o mais ambicioso programa de Investigação e Inovação de sempre! O novo programa seguirá os resultados e o sucesso alcançado pelo Horizonte 2020 (2014-2020), que ainda se encontra em vigor, e pretende manter a União Europeia na vanguarda mundial neste domínio.

investigacao-inovacao-horizonte-europa

 

Para além do maior orçamento de sempre, o Horizonte Europa acrescentará um maior nível de ambição e intensificará o impacto científico, económico e societal do financiamento da UE. Merece destaque o maior investimento em pessoas altamente qualificadas, a aposta na investigação de vanguarda, a promoção da competitividade industrial da UE, as prioridades estratégicas, tais como o Acordo de Paris sobre as alterações climáticas e os desafios globais que afetam a qualidade da vida quotidiana dos cidadãos.

Trata-se de um programa para ter maior impacto! Por um lado, um orçamento de 100 mil milhões de euros, dos quais, 3,5 mil milhões de euros serão afetados ao Fundo InvestEU (empréstimos, garantias, capital próprio e outros instrumentos de mercado) e 2,4 mil milhões de euros para o Programa de Investigação e Formação da Euratom (apoio à investigação e formação no domínio da segurança nuclear, segurança e proteção contra as radiações). Por outro lado, regras mais simples, menos burocracia para os beneficiários, com um único conjunto de regras, taxas de financiamento estáveis e maior simplificação do modelo de financiamento.

 

Haverá, também, uma maior colaboração com outros programas da UE, através da promoção sinergias eficazes e operacionais com outros futuros programas e políticas, a fim de promover uma difusão mais rápida a nível nacional e regional e a utilização dos resultados da investigação e da inovação.

Segundo dados da CE, cerca de dois terços do crescimento económico da Europa nas últimas décadas foram impulsionados pela inovação. Assim, o programa Horizonte Europa deverá gerar novos e maiores conhecimentos e tecnologias, promover a excelência científica e ter efeitos positivos sobre o desenvolvimento e o investimento económico e um impacto social e ambiental significativo. Cada euro investido pelo programa pode gerar um retorno até 11 euros do PIB ao longo de 25 anos. Segundo as estimativas, os investimentos da União no setor da investigação e inovação poderão gerar um benefício estimado até 100 000 postos de trabalho em atividades de investigação e inovação, só na fase de investimento, período de 2021-2027.

Horizonte 2020 em números

De acordo com o relatório da avaliação intercalar do H2020, até maio de 2018, o programa apoiou mais de 18 000 projetos, tendo atribuído mais de 31 mil milhões de euros, o que tem permitido que em termos técnico-científicos, a União Europeia se mantenha na frente da Investigação & Desenvolvimento de qualidade, junto com potências como os E.U.A.

A nível nacional, as entidades portuguesas participam em 1261 projetos do Horizonte 2020 que resultam de 8972 propostas submetidas (taxa de sucesso de 14,05% face a 13,05% de média da EU) e a um financiamento total de 547,72 M € (1,56% do financiamento total da UE no Horizonte 2020).

 

As Universidades e os Centros de ID absorvem a maior parte destes apoios (64% do financiamento obtido), sendo que as PME receberam 16% do financiamento atribuído a entidades nacionais. De salientar que o número de participações, assim como o valor, tem aumentado gradualmente desde 2014 até 2017.

Outros financiamentos à I&DT nacional

Segundo dados da Agência Nacional de Inovação (ANI), no período de janeiro 2014 a julho de 2017, ao abrigo dos sistemas de incentivo do Portugal 2020, as entidades nacionais receberam cerca de 169 milhões de euros para financiamento a atividades de investigação e inovação. Este montante representa um aumento de 64% face ao total atribuído no anterior programa-quadro (QREN). O tecido empresarial absorveu 57% deste valor, enquanto as entidades do sistema científico e tecnológico nacional receberam 43% desses fundos comunitários. O crédito fiscal atribuído no mesmo período às empresas que investem em I&DT, foi de 659 milhões de euros ao abrigo do Sistema de Incentivos Fiscais à ID Empresarial (SIFIDE).

 

A Multisector tem apoiado muitas entidades na implementação destes projetos de investigação e inovação, que têm contribuído para o crescimento das empresas e da economia nacional, aumentar o valor gerado e garantir a sustentabilidade económica no longo prazo.

 

Os números falam por si: 122 candidaturas apresentadas aos diferentes sistemas de apoio à I&DT do Portugal 2020 que se traduzem num montante de incentivo aprovado e contratualizado de 15,1 milhões de euros!

 

Está pronto para investir em Investigação, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação?

 

Fale connosco!

Cláudia Martins
Gestão de Projetos

QUAL A MELHOR FERRAMENTA PARA UMA GESTÃO EFICAZ E EFICIENTE?

Em uníssono, respondemos CONTROLO DE GESTÃO!

 

A gestão de uma empresa é uma atividade que exige a articulação das diversas dimensões de uma organização: a financeira, a operacional, as obrigações contabilísticas e fiscais, os Recursos Humanos, a envolvente externa. Esta informação está dispersa e a tomada de decisão é feita de forma individualizada.

 

controlo de gestão ferramenta

O Controlo de Gestão permite tornar todo o processo de gestão e tomada de decisão mais simples e fluido. Consiste:

 

num fator de desenvolvimento porque é uma ferramenta / processo, que permite à empresa atingir objetivos mediante a implementação de uma estratégia adequada e passível de ser monitorizada e revista

num instrumento de mudança que será tanto mais eficaz e eficiente quanto maior o envolvimento e empenho da sua estrutura

 

Estes dois fatores são indissociáveis. A implementação de um Sistema de Controlo de Gestão passa obrigatoriamente pela gestão, orientação e motivação da dinâmica organizacional através do estabelecimento de objetivos atingíveis, medidos por indicadores representativos de realidades críticas da atividade da empresa.

Resumidamente, o Controlo de Gestão permite:

 

Delinear objetivos e planear uma estratégia para atingir os mesmos de uma forma efetiva;

Definir objetivos atingíveis alinhados com a estratégia;

Acompanhar e analisar o desempenho das áreas críticas da empresa com base em informação relevante para uma tomada de decisão concertada e sinérgica;

 A Gestão integrada das diversas dimensões da empresa;

Libertá-lo para aplicação do seu valor acrescentado noutras atividades que merecem a sua atenção;

Atuar atempadamente em caso de desvio ao trajeto planeado;

Manter a estrutura organizacional motivada, coesa e dinâmica em prol de um bem comum;

Responder às adversidades e mudanças do mercado de uma forma sustentada e proactiva;

Reformulá-lo sempre que necessário para responder a novas exigências.

O Controlo de Gestão é uma ferramenta moldável à dinâmica única e individual de cada empresa, mas implica uma seleção rigorosa da informação a ser acompanhada e analisada para que esta ferramenta seja efetiva.

 

A Multisector tem ajudado a definir e acompanhado a implementação de Sistemas de Controlo de Gestão em várias empresas de diversas áreas de atividades, acumulando uma vasta experiência na construção à medida de sistema de um controlo de gestão.

 

Está pronto para tornar a gestão da sua empresa eficaz e eficiente?

 

Fale connosco!

 

Edite Rodrigues
Estratégia & Desenvolvimento

SI2E LISBOA | MAIS 2 CONCURSOS EM JUNHO

Foram lançados dois concursos este mês.

SI2E – GAL FatorC Aviso 2018 19 de Junho a 3 de Agosto de 2018 (18H) | Dotação orçamental: 546.000€

SI2E – GAL URBANO SINTRA URBAN | 11 de Junho a 28 de Setembro de 2018 (18H) | Dotação orçamental: 300.000€

 

Oportunidade de financiamento não reembolsável existente para operacionalizar apoios ao empreendedorismo e à criação de emprego, por via do POR Lisboa, nas freguesias de Alcabideche, Algueirão Mem Martins, União das freguesias de Queluz e Belas e São Domingos de Rana.

ALCABIDECHE S DOMINGOS DE RANA

 

O SI2E admite o financiamento através de dois fundos comunitários – Fundo Social Europeu (FSE) e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) – para apoiar dois tipos de projetos:

Criação de micro e pequenas empresas;
Expansão ou modernização de micro e pequenas empresas.

 

Destinatários:

Empreendedores
→ Empresários em nome individual
→ Empresas públicas
→ Empresas privadas com ou sem fins lucrativos

 

As entidades devem estar legalmente constituídas à data da candidatura, ter certificação eletrónica IAPMEI de micro ou pequena empresa, conduzir ao investimento e à criação de postos de trabalho nos locais de investimento elegíveis:

 

Concelho de Cascais

Freguesia de Alcabideche: Abuxarda, Adroana, Alcabideche, Alcoitão, Alvide, Amoreira, Atibá, Atrozela, Bairro da Cruz Vermelha, Bicesse, Cabreiro, Carrascal de Alvide e Manique;

Freguesia de S. Domingos de Rana: Abóboda, Cabeço de Mouro, Caparide, Conceição da Abóboda, Matarraque, Matos Cheirinhos, Outeiro de Polima, Polima, São Domingos de Rana, Talaíde, Tires, Trajouce e Zambujal.

 

Concelho de Sintra:

Freguesia de Algueirão Mem Martins: Tapada das Mercês

Freguesia União das Freguesias de Queluz e Belas: Pendão

 

Apresentam-se abaixo os territórios de intervenção por freguesia dos 3 concursos lançados em março ainda abertos:

 

GAL URBANO REDE DLBC LISBOA, BAIRROS OUTROS/MISTOS + AUGI
Data de início: 23-03-2018 | Data de encerramento: 19-09-2018
AVISO LISBOA-M8-2018-14

Dotação orçamental: 101.438,20 €

Bairros da tipologia AUGI

Lumiar: Quinta do Olival

Santa Clara: Grafanil, Quinta da Torrinha, Quinta da Mourisca, Sete Céus, Galinheiras

Carnide: Azinhaga dos Lameiros/Azinhaga da Torre do Fato

Bairros da tipologia OUTROS/MISTOS

Areeiro: Portugal Novo

BeatoOurives/Estrada de Chelas, Cooperativas – Rua João Nascimento Costa/Rua Carlos Botelho

Campolide: Bela Flor, Liberdade, Quinta do Tarujo

MarvilaLoios, Amendoeiras, PRODAC

Avenidas Novas: Rego (Bairro de Santos e PER)

Campo de OuriqueSete Moinhos, Casal Ventoso

Penha de França: Horizonte

AlvaladeBairro S. João de Brito/Pote de Água, Cooperativas 25 de Abril e Unidade do Povo

Alcântara: Cascalheira/Alvito Velho

Estrela: Rua Possidónio da Silva

Ajuda: Rio Seco

S. VicenteQuinta do Ferro

 

GAL URBANO REDE DLBC LISBOA_ BAIRRO MUNICIPAL
Data de início: 23-03-2018 | Data de encerramento: 19-09-2018
AVISO LISBOA-M8-2018-13

Dotação orçamental: 165.334,98 €

Bairros da tipologia Municipal

AjudaCasalinho da Ajuda, 2 de Maio

Alcântara/ Campo de Ourique/EstrelaQuinta do Cabrinha/Quinta do Loureiro/Avenida de Ceuta

Santa ClaraAmeixoeira (PER), Charneca do Lumiar, Alta de Lisboa Centro

Alvalade: Murtas

CarnidePadre Cruz, Horta Nova

Lumiar: Alta de Lisboa Sul, Alta de Lisboa Centro, Cruz Vermelha, Pedro Queiroz Pereira

Marvila: Flamenga, Condado, Armador, Quinta das Salgadas/Alfinetes, Marquês de Abrantes

Penha de França: Alto da Eira, Quinta do Lavrado

Olivais: Quinta do Morgado, Alfredo Bensaúde

Parque das Nações: Quinta das Laranjeiras, Casal dos Machados

S. Domingos de BenficaFurnas

Beato: Empreendimento Municipal Rua João Nascimento Costa, Empreendimento Municipal Rua Carlos Botelho

 

GAL URBANO REDE DLBC LISBOA – BAIRRO HISTÓRICO
Data de início: 23-03-2018 | Data de encerramento: 19-09-2018
AVISO LISBOA-M8-2018-12

Dotação orçamental: 66.862,31 €

Bairros da tipologia Histórico

Carnide: Centro Histórico de Carnide

S. Vicente: Graça/Sapadores

ArroiosPena, Anjos

Santa Maria Maior/S. Vicente/ ArroiosAlfama, Mouraria, Castelo

Santo AntónioS. José/Santa Marta (eixo)

Misericórdia: Rua S. Paulo (Eixo)

LumiarPaço do Lumiar

MarvilaMarvila Velha

EstrelaPampulha

São Domingos de BenficaRua Direita da Palma

 

Para mais informações contacte-nos.

ADN 2018 | PME e START UP

APOIO AO DESENVOLVIMENTO DE NEGÓCIOS

adn2018-startup

 

Abriram duas novas linhas de financiamento e crédito com plafond 122 milhões de euros para investimento, com o objetivo de criar condições favoráveis às empresas portuguesas no acesso ao financiamento bancário com garantia mútua.

ADN 2018

Beneficiários: Pequenas e Médias Empresas, com volume de negócios até 150 milhões de euros e que não integrem grupos empresariais com faturação consolidada superior a 200 milhões de euros

Dotação global: 112 milhões de euros

110 M€ – Curto prazo

Operações de apoio curto prazo

Conta corrente para tesouraria, financiamento por livrança, operações sobre o estrangeiro, programas de papel comercial, desconto de papel comercial, factoring e confirming

Montante máximo financiamento por empresa: 1 500 000 euros

Prazo das operações: Até 3 anos. Operações renováveis trimestral, semestral ou anualmente, até ao máximo de 3 anos

Amortização de Capital: Quando aplicável, prestações constantes, iguais, trimestrais, semestrais ou anuais, e postecipadas

Garantia Mútua: 60% do valor do capital em dívida em cada momento do tempo

6M€ – Leasing Imobiliário

Operações de leasing imobiliário

Instalações dedicadas à atividade da empresa

Montante máximo financiamento por empresa: 500 000 euros

Prazo das operações: Até 12 anos (com período de carência até 24 meses)

Amortização de Capital: Rendas constantes (de capital ou capital e juros), iguais, mensais, trimestrais, semestrais ou anuais, e antecipadas ou postecipadas (excluindo o valor residual).

Garantia Mútua: 50% do valor do capital em dívida em cada momento do tempo.

6 M€ – Leasing Mobiliário

Operações de leasing mobiliário

Renovação e manutenção de equipamento

Montante máximo financiamento por empresa: 250 000 euros

Prazo das operações: Até 6 anos (com período de carência até 24 meses)

Amortização de Capital: Rendas constantes (de capital ou capital e juros), iguais, mensais, trimestrais, semestrais ou anuais, e antecipadas ou postecipadas (excluindo o valor residual).

Garantia Mútua: 65% do valor do capital em dívida em cada momento do tempo.

ADN 2018 – Start Up

Beneficiários: Micro empresas na fase inicial do seu ciclo de vida e até quatro anos de atividade, com um mínimo de 15% de capitais próprios. No caso da Microempresa ainda não estar criada, a garantia será emitida após constituição formal da empresa.

Dotação global: 10 milhões de euros

 Operações de financiamento bancário

Montante máximo financiamento por empresa: 50 000 euros, podendo atingir os 100 000 euros desde que as características da atividade da empresa envolvam a necessidade de aquisição de equipamento produtivo ou sistema produtivo integrado cujo valor de aquisição e instalação seja superior a 150 000 euros

Prazo das operações: Até 8 anos (com período de carência até 24 meses)

Amortização de Capital: Prestações constantes, iguais, mensais, trimestrais, semestrais ou anuais, e postecipadas.

Garantia Mútua: 75% do valor do capital em dívida em cada momento do tempo.

 

Para mais informação consulte os links acima das linhas e não hesite em contactar-nos para esclarecimentos que necessite.

ATUALIZAÇÃO DA POLÍTICA DE PRIVACIDADE

A Multisector reforçou o compromisso na proteção dos seus dados pessoais.
Atualizámos a nossa Política de Privacidade em conformidade com o novo Regulamento Geral de Proteção de Dados.

 

Consulte a nossa política de privacidade no link abaixo e saiba o que fazemos com os dados solicitados ao subscrever a nossa newsletter e ao preencher o nosso formulário de contacto.

 

POLÍTICA DE PRIVACIDADE 

 

Caso pretenda alguma informação adicional ou esclarecimento, não hesite e por favor contacte-nos para o endereço eletrónico info@multisector.pt

 

Relembramos que a qualquer momento pode optar por deixar de receber as nossas newsletters ou atualizar as preferências da sua subscrição, nas hiperligações destinadas para o efeito (unsubscribe from this list  e update subscription preferences) no final de cada newsletter.

 

rgpd-ms-email2