VIRAR A PÁGINA… OU TALVEZ AINDA NÃO

29 Janeiro 2021

VIRAR A PÁGINA… OU TALVEZ AINDA NÃO

O tão aguardado arranque do novo ano, não trouxe de todo a viragem que estávamos à espera… 2021 brindou-nos com uma terceira vaga da pandemia, com mais mortos, mais infetados, hospitais em rotura, mais desemprego, mais falências, mais pobreza, mais confinamento…

Nem a chegada da tão esperada  vacina nos faz ver a luz ao fundo do túnel.

apoios

 

A presidência portuguesa da União Europeia que tinha como principal missão desconfinar a Europa, vê-se abalada com o aumento desgovernado dos números da pandemia, que colocaram Portugal no topo dos gráficos, mas pelos piores motivos. A garantia de que o dinheiro da “Bazuca” chega antes do verão não vai ser tarefa fácil. A anterior presidência alemã deixou para Portugal a execução dos acordos políticos sobre o orçamento plurianual e para o Fundo de Recuperação que estavam bloqueados desde junho pela Polónia e pela Hungria, pelo que a regulamentação do Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027 está ainda a começar.

Para já, o que sabemos é que Marcelo Rebelo de Sousa renovou o mandato presidencial na primeira volta das eleições e o segundo estado de emergência em 2021, quando ainda nem chegamos ao final do mês.

Uma vez mais a economia vê-se a braços com o cenário de crise. Estabelecimentos comerciais e de serviços fechados, teletrabalho obrigatório, layoff, despedimentos. Para fazer face ao impacto da pandemia na economia, o Governo tem avançado com várias medidas e apoios, que vão sendo ajustadas e prorrogadas à medida do que a situação exige:

• O Apoio à Retoma Progressiva estará em vigor até ao final do primeiro semestre de 2021

• O programa Apoiar passa a estar disponível também para médias empresas e empresários em nome individual (ENI) sem contabilidade organizada mas com trabalhadores a cargo. O Governo contempla ainda o acesso aos apoios por parte das empresas com dívidas ao Estado.

• As empresas passam a ver uma parte das rendas suportadas pelo governo e podem ter acesso a uma linha de crédito.

• As empresas vão poder aderir à flexibilização do cumprimento das obrigações tributárias em sede de IVA e as cooperativas, micro, pequenas e médias empresas, podem ser dispensadas dos pagamentos por conta.

• Há várias linhas de crédito disponíveis para as empresas, bem como um fundo de tesouraria para micro e pequenas empresas no montante de 750 milhões de euros.

• Lay-off simplificado continua para empresas que têm de estar fechadas.

• O programa IVAucher para o turismo que permite aos portugueses acumular o valor do IVA de uma despesa, no setor do turismo, e descontar esse mesmo montante numa compra no trimestre seguinte, nessa mesma área em restaurantes, alojamentos (hotéis, alojamento local, etc.) e espaços de cultura.

• Benefícios fiscais para ações conjuntas de promoção externa relativas à participação em feiras e exposições no exterior e incluem gastos com o arrendamento de espaço e com a construção e funcionamento do stand.

• Regime das moratórias de crédito mantém-se aberto até 31 de março.

• Os apoios do programa Adaptar, para a reconversão dos estabelecimentos e métodos de trabalhos das micro, pequenas e médias empresas, para cumprirem distanciamento devido à pandemia, foram prolongados até 31 de março.

Os tempos que vivemos desafiam a sociedade de uma forma nunca antes vivenciada. Da saúde à economia, é de sobrevivência que falamos. Mas sobreviver não pode significar mantermo-nos apenas à tona. É preciso inovar, mudar de direção, fazer o que ainda não foi feito.

Os tão aguardados milhões da Europa vão chegar mais dia menos dia… é tempo de pensar no que podem fazer pela sua vida! Conte com a Multisector para dar um pontapé na crise. Fale connosco para darmos forma à sua ideia.

 

Cláudia Martins
Gestão de Projetos