MULTISECTOR NAS JORNADAS INTERNACIONAIS DA CAPITAL DO MÓVEL

22 Novembro 2019

MULTISECTOR NAS JORNADAS INTERNACIONAIS DA CAPITAL DO MÓVEL

A Multisector foi convidada para participar nas I Jornadas Internacionais da Capital do Móvel, que decorreram nos dias 20 e 21 de Novembro no auditório da Associação Empresarial Paços de Ferreira.

Joao-Soares-MS-estrategia

João Soares, Consultor em Estratégia e Desenvolvimento da Multisector fez parte do Painel de especialistas em “Inovação em Marketing na Era Digital” que contou, ainda com os seguintes oradores: ­Jorge Remondes – diretor da pós-graduação em Marketing Digital e eCommerce do ISVouga; Joana Teixeira da Worldfootwear.com; Ângelo Gomes da Castro Lighting; Jorge Resende – Communication manager da PDF. O moderador do evento foi Jorge Daniel Pacheco do Centro de Estudos Sociais e Organizacionais do Politécnico do Porto.

“(…) uma hora de buzzwords de marketing pode tornar-se um pouco confuso para quem nunca as ouviu.” Foi assim que João Soares iniciou a sua breve intervenção que se diferenciou das restantes pela adaptação do tema à realidade das empresas no processo de investimento em Marketing e Inovação digital.

 

Salientado que “(…) com mais de duas décadas de história a financiar a inovação, a Multisector vai para lá das candidaturas ao Portugal 2020. Tem apostado sim, principalmente na ligação de empresas altamente tecnológicas com o mercado e na sua capacidade de inovar no mesmo. É neste sentido que a questão de Marketing se tem tornado mais proeminente. E porquê?

Ora, a Multisector té abordada por dois tipos de clientes:

1. O cliente que sabe o que quer fazer. Quer fazer marketing porque ouve falar nisso, quer investir em Marketing, quer contratar pessoal de marketing, quer ter um website novo, (etc.).Mas que têm dificuldade em saber o “Porquê?”, muitas vezes justificando que segue a concorrência. Aqui podemos ver que, tal como o primeiro orador (Prof. Doutor Jorge Remondes)  destacou, não há uma verdadeira estratégia delineada;

2. O cliente que sabe realmente o que procura, o que pretende atingir, onde ambiciona chegar/posicionar-se mas que tem dificuldades com o “Como” lá chegar, “como” saber o que fazer, “como” mitigar o risco ou “como” financiar este caminho.

 

É por isso que o planeamento de Inovação e o de Investimento estão sempre de mãos dadas. Porque investir cegamente seja em Marketing seja em outras atividades de Inovação é um grande risco. É preciso delinear uma estratégia realista que permita ao empresário chegar onde quer. Isto é também verdade para todas as tarefas de Marketing. Para se fazer conteúdo tem que se saber o que se vai escrever, porque se vai escrever e para quem se vai escrever, caso contrário é tempo perdido.”

Destacando curiosidades sobre a Multisector foi referido que “ é no sector forte da Multisector, o TICE, que encontramos um tipo interessante de perfil de empresário e fundador. São técnicos especializado (engenheiros, informáticos, eletrotécnicos, etc) que cresceram a desenvolver, têm os produtos que competem com os melhores lá fora e, no entanto, são maus a gerir e a vender, o que os leva muitas vezes a colocar estas tarefas em segundo plano. Isto acontece também com os clientes industriais. Temos produtores portugueses e fábricas operam muito na dinâmica de Private Label. Pois somos espetaculares a fazer, somos tão bons a fazer que as maiores marcas lá de fora vêm cá pedir para fazermos para elas. Então porque é que não criamos as nossas próprias marcas?“

 

É que vender sem Estratégia e sem uma visão tende a assustar os empresários. E, como os nossos (Multisector) clientes cada vez mais procuram vender melhor, têm vindo a dar mais valor ao marketing.”

“As PME de hoje estão a investir e a apostar forte em Inovar e é impossível falar em inovação empresarial sem falar em marketing. Quando nos chegam com uma ideia, e esta pode ser a mais variada, desde uma linha de produção, à digitalização da empresa, um novo website. Esta ideia tem que estar assente em algo mais global, num projecto mais global. Este website vai estar inserido onde? Quem é que vai operar? Porquê? Porque o está a fazer?… toda esta estratégia necessita de estar interligada, além do departamento de marketing que avai dirigir, é necessários que as restantes áreas da empresa entendam o seu real valor. Uma empresa que opera em caixinha: os da produção operam na produção, os do marketing operam no marketing, os das vendas nas vendas (….) Não funciona! Cria atritos e dificuldades de comunicação e consequentemente, de gestão.”

 

“(…) quando nos trazem uma ideia é necessário avaliarmos a sua viabilidade, seja os seus investimentos seja estas estratégias de marketing, se ela está adequada às personnas, ao segmento, aos objectivos da empresa, se faz sentido investir no multicanal, se queremos estar em todas as redes sociais, fará sentido? Para quê? Vamos investir nisso tudo? Quem paga a conta?

 

Na Multisector, gostamos de levar as ideias para o mercado. E a inovação digital  não é uma inovação diferente das outras. É uma inovação que está também assente nas buzzwords que todos os projetos de investimento têm como defesa/mérito: #Inovação organizacional #Inovação do produto e #Inovação de marketing. São chavões que se cruzam entre si e que hoje em dia, com a parte da inovação digital, se têm tornado mais “palpáveis”.

 

Habitualmente, quando as empresas  pensam que querem “digitalizar-se” vão comprar mais ums módulos “ERP/CRM” (…) Pensam (erradamente) que com isto estão a “Inovar e a digitalizar”. A isto digo: Não, apenas estão a adquirir um sofware. Se não fazem uso dele até vai ter um custo maior do que o seu preço, o custo da limitação da gestão da empresa. É preciso ver a empresa de dentro para fora e não investir cegamente em soluções Digitais Standard, sejam elas de Marketing ou Gestão. Se é a sua empresa que se ajusta ao software e não o contrário, tenho uma má noticia para lhe dar.

 

(…) hoje em dia entramos numa era de dados o que torna cada uma das empresa um organismo único. É necessário que o gestor 4.0 consiga utilizar estes dados no seu dia a dia, se não são apenas números e gráficos bonitos pelos quais pagou caro. Se eu lhes disser que à semelhança do Marketing, a verdadeira Transformação Digital também não acontece sem as pessoas?”

Foi neste seguimento que João Soares aproveitou para fazer o Pitch da mais recente inovação da Multisector:

Digsim

“Este ano lançamos o digsim.pt, (…) DigSim  é uma solução digital integrada da Multisector. Não é um software .Não é um serviço. É ambos. É uma solução pensada para simplificar a componente de gestão das empresas.

 

Com o digsim.pt trabalhamos a empresa da frente para trás. Avaliamos, discutimos e trabalhamos em conjunto com os responsáveis para definirmos onde querem chegar, qual é a melhor estratégia para empresa, o que realmente faz sentido medir e, com base nisso, trabalha-se a empresa da frente para trás.

 

Não adianta impingir às empresas esta “transformação digital” onde se colocam todos os dados e mais alguns num dashboard e se acaba por não retirar nenhum significado, nenhuma conclusão deles.

O fundamental é saber o que se quer ler e recolher desses dados, para depois se trabalhar para trás e melhorar todos estes processos, reduzindo os custos das empresas e melhorando as performances e obter das apostas em Marketing maior notoriedade, mais quota, melhor posicionamento e a cima de tudo, mais VENDAS! Porque as empresas se existem é para isso para Vender esse é o propósito da sua existência”

O painel encerrou com um conjunto de questões do público e networking, naquela que foi uma sessão rica em partilha de experiências entre empresas de diversas áreas mas com muito em comum.

 

Ana Almeida
Marketing