À CONVERSA COM “QUEM SABE”! COMO SABER SE ESTAMOS PERANTE UM PROJETO I&DT EMPRESARIAL?

27 Fevereiro 2019

À CONVERSA COM “QUEM SABE”! COMO SABER SE ESTAMOS PERANTE UM PROJETO I&DT EMPRESARIAL?

a-conversa-com-quem-sabe

A aposta em I&DT é uma “bandeira” política europeia e nacional! São vários os mecanismos de estímulo à qualificação das empresas para a internalização de competências próprias de I&D, para apoiar as empresas a prosseguir uma estratégia de diferenciação competitiva pela via da I&DT e da Inovação.

 

No entanto, estes são os sistemas de incentivo que apresentam a mais baixa taxa de aprovação dos programas de incentivo, muitas vezes explicada pela criteriosa análise levada a cabo por peritos qualificados que nos seus critérios de aprovação procuram projetos, nos quais as entidades (empresas e Entidades Não Empresariais do Sistemas I&I) se proponham a contribuir, de forma clara e objetiva para acrescentar valor ao estado da arte das temáticas técnico-científicas objeto de investigação.

 

Os projetos acompanhados pela Multisector apresentam uma taxa média de aprovação duas vezes superior à taxa média de aprovação nacional. De acordo com “quem sabe”, este sucesso reside na capacidade dos consultores conseguirem, numa fase de pré-avaliação, rastrear o potencial de qualidade do projeto, sabendo à partida se estão perante um projeto ganhador.

 

Foi com este objetivo que, depois de uma validação interna com os consultores de I&DT da Multisector, partilhamos a check-list a usar num exercício de reflexão interna no planeamento de um projeto de I&DT.

O exercício baseia-se na resposta à questão: O que é um projeto de I&DT empresarial?

 

Em suma, um projeto de I&D caracteriza-se pela existência de desenvolvimentos técnicos e tecnológicos de novidade apreciável, cuja resolução se antevê ser de elevado grau de incerteza científica e/ou tecnológica (risco), mesmo para alguém especialista, que tenha o conhecimento da área e conheça as técnicas habitualmente utilizadas nesse sector (Fernando Pinto – Diretor de I&DT).

 

Nesta definição surgem dois conceitos que são essenciais para identificar um projeto de IDT, o primeiro está relacionado com os “desenvolvimentos técnicos e tecnológicos de novidade apreciável”, o que significa que qualquer projeto de I&DT tem de obrigatoriamente representar uma inovação e de ultrapassar o estado de arte. O segundo está relacionado com o grau de incerteza. Esta é , provavelmente, a principal limitação da aposta em I&DT, dado que existe sempre um grau de risco associado à novidade.

 

“Trocando por miúdos”, para se aplicar esta definição a uma ideia de projeto é necessário responder às 5 perguntas chave listadas abaixo, cujas respostas devem-se traduzir em argumentos válidos que sustentem a defesa de um projeto de I&DT ganhador :

 

#1. MOTIVAÇÃO
Quais as necessidades/problemas que o mercado anseia resolver?

#2. DIMENSÃO DO PROBLEMA
Qual a “gravidade”ou “impacto” do problema para o sector/sociedade que o Produto/Processo/Sistema visa resolver?

#3. CONCORRÊNCIA E BENCHMARKING
O que há no mercado mais parecido com o Produto/Processo/Sistema e se a forma como resolve o problema se distingue e em que grau?

#4. EXPLORAÇÃO ECONÓMICA
Qual será o impacto (ganhos) no mercado com a introdução do produto /Processo/Sistema?

#5. INOVAÇÃO TECNOLÓGICA
Qual é o avanço tecnológico e/ou de conhecimento que o projeto vai trazer?

 

Todo e qualquer projeto de I&DT apoiado pela Multisector passa por este crivo, sendo que os nossos consultores não só avaliam a viabilidade da ideia, como são proactivos na sugestão de adaptações à ideia de forma a que o projeto apresente as características necessárias para um maior potencial de aprovação, mas, acima de tudo que a empresa consiga otimizar o impacto económico da sua aposta em I&DT.

 

Obrigada João Lacão e Fernando Pinto pela partilha!

Partilhe a sua  ideia com “quem sabe”!

 

Irina Machado
Estratégia & Desenvolvimento