PROJETO “AGATHA” NO ENCALÇO DA IMPRESSÃO “DIGITAL” DO CRIME ORGANIZADO

18 Abril 2017

PROJETO “AGATHA” NO ENCALÇO DA IMPRESSÃO “DIGITAL” DO CRIME ORGANIZADO

Nas últimas décadas assistimos a um crescimento acelerado da utilização de serviços e meios digitais na internet. Estas tecnologias tornaram-se tão banais nas nossas vidas que servem hoje de suporte a múltiplas operações quotidianas. Embora estes meios nos tenham trazido enormíssimos benefícios, verifica-se igualmente que são utilizados para fins ilícitos ou para o planeamento de atividades de criminalidade organizada, que ameaçam os cidadãos, empresas, governos e infraestruturas críticas.

 

O AGATHA trará uma ferramenta dirigida às polícias de investigação criminal e serviços de inteligência, que facilitará a recolha de evidências de prática criminosa, através do seu rasto digital.

 

Este sistema utilizará toda a informação disponível em fontes abertas e procederá a uma análise automática dessa informação.

agatha-3_600x289

Quais Fontes? Bastantes: redes sociais, fóruns, blogosfera, meios de difusão na web, como rádio ou TV, e outros recantos digitais que sejam uma fonte aberta.

 

Como? Trata-se de um sistema que será munido de complexos algoritmos de crawling e data mining que recolherão quantidades elevadas de informação na rede, embora de forma seletiva. Uma vez recolhidos os dados segue-se a fase de processamento, que permitirá às equipas de investigação criminal analisar estas grandes quantidades de dados. Esta ferramenta será capaz de analisar de forma automática vídeos/imagens, áudio, voz e texto, podendo detetar objetos específicos, identificar intervenientes por reconhecimento facial e de voz e analisar texto.

Este sistema permitirá às equipas de investigação perceber de forma expedita, por exemplo, se o que procuram se encontra ou não visado num conjunto de vídeos publicados numa rede social: se foi mencionado numa conversa, se estava na mão de alguém que foi filmado, ou aparece referenciado nos comentários deixados por outros cibernautas. Para tal, o sistema deterá ainda capacidades de classificação e segmentação semântica (para deteção de tópicos, diálogos e extração de entidades mencionadas) e incorporará um sistema de visualização de dados, que apresenta a informação encontrada de forma relacionada.

 

O projeto denominado “AGATHA” foi apoiado pelo COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Empresarial na vertente de Co-promoção e é desenvolvido pela Compta Business Solutions, S.A., em conjunto com a Voiceinteraction S.A., a Associação C.C.G./ZGDV – Centro de Computação Gráfica e a Universidade de Évora.

A Multisector participou na montagem deste consórcio, tendo sido responsável pela candidatura deste projeto.

FacebookTwitterLinkedInGoogle+