CHECK-LIST DE PROJETOS VENCEDORES DE I&DT – CO-PROMOÇÃO E DEMONSTRADORES

20 Dezembro 2016

CHECK-LIST DE PROJETOS VENCEDORES DE I&DT – CO-PROMOÇÃO E DEMONSTRADORES

De acordo com a estatística divulgada pela Agência Nacional de Inovação (ANI), na última fase de submissão, cerca de 60% das candidaturas submetidas foram reprovadas nos âmbitos das tipologias I&DT em Co-promoção e I&DT Demonstradores.

Não são boas notícias, e acreditamos que o problema está na capacidade de transpor para a candidatura a verdadeira mais-valia dos projetos respeitando as regras dos programas. Queremos mais! Por isso partilhamos aqui uma check-list de boas práticas para apoiar os promotores a avaliar as suas candidaturas e superar estas estatísticas promovendo o investimento em inovação e … não menos importante garantir o seu retorno.

PROJETOS DE I&D EM CONSÓRCIO:

1. “Consórcios completos”, que pressupõe a existência de entidades que se complementam entre si, em termos de competências técnicas e cientificas e ainda na valorização dos resultados do projeto. Para o efeito, dever-se-á incluir no consórcio o tomador e comercializador da tecnologia e ainda se possível os utilizadores finais dessa tecnologia;

2. Defender o caráter inovador com uma análise criteriosa do estado de arte das tecnologias;

3. Investimento adequado e calculado de forma realista e consentâneo com as atividades e objetivos do projeto;

4. Defesa de enquadramento do projeto com os domínios prioritários da Estratégia de especialização inteligente a nível nacional e regional;

5. Garantir, antes da submissão da candidatura, que as condições de elegibilidade do promotor são satisfeitas.

 

PROJETOS DEMONSTRADORES:

1. Estruturar um plano de ação e de investimento que, de facto, consista em atividades de Investigação Industrial e Desenvolvimento experimental e apresentar uma defesa sustentada dessas atividades;

2. Explicar de forma clara o caráter inovador alicerçado em atividades de I&D concluídas com sucesso, que serão alvo de demonstração;

3. Demonstrar de forma inequívoca que o projeto corresponde a tecnologias avançadas, e que se encontra num estádio de maturidade de demonstração;

4. Construir um plano de ação onde no decurso do projeto se verifique a demonstração, em situação real de utilização dos produtos ou serviços focados no projeto;

5. Garantir, antes da submissão da candidatura que as condições de elegibilidade do promotor são satisfeitas.

 

Sim, reforçamos este ponto dado que mais de 30% das candidaturas reprovadas não cumpriram com as condições de elegibilidade do promotor.

 

Cumprir com estes requisitos é o segundo passo para o sucesso de uma candidatura a estes programas, sendo que o primeiro é contactar-nos!

FacebookTwitterLinkedInGoogle+